cover-google2 (1)

Google paga multa por discriminação sistemática em contratações e remunerações de mulheres

Decisão vem depois de uma investigação que descobriu que as engenheiras de software do Google eram mal remuneradas

por Soraia Alves

O Google aceitou pagar uma multa de US$ 2,5 milhões a mais de 5.500 funcionárias e candidatas a vagas na empresa, que foram afetadas por uma suposta discriminação sistemática de pagamentos e contratações feita pela empresa. A decisão vem depois de uma investigação realizada pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, que descobriu que as engenheiras de software do Google eram mal remuneradas.

A investigação também identificou “diferenças nas taxas de contratação que prejudicaram candidatas do sexo feminino e asiáticas” para cargos de engenharia do Google. As práticas discriminatórias afetaram funcionários dos escritórios do Google em Mountain View, Seattle, e Kirkland.

Como parte do acordo, o Google vai entregar US$ 1.353.052 em pagamentos atrasados ​​e juros para 2.565 engenheiras. A empresa também pagará US$ 1.232.000 em pagamentos atrasados ​​e juros a 1.757 candidatas à engenharia e 1.219 candidatas asiáticas à engenharia por “cargos de engenharia não contratados”.

O Google também reservará US$ 1.250.000 para ajustes de equidade salarial, totalizando US$ 3,8 milhões para resolver esse problema. Esses US$ 1,25 milhão são destinados a engenheiros em Mountain View, Seattle, Kirkland e Nova York, que abrigam 50% da equipe de engenharia do Google nos EUA, de acordo com o Departamento do Trabalho.

Em um comunicado enviado ao The Verge, um porta-voz do Google disse que a empresa acredita que “todos devem ser pagos com base no trabalho que fazem, não em quem são”, e pretende “investir pesado para tornar nossos processos de contratação e compensação justos e imparciais”.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link