usina-nuclear
Imagem: Reprodução

China vai testar primeiro reator nuclear “limpo” do mundo

Tecnologia do reator nuclear não precisa de água para resfriar, além de não poder ser facilmente usada para armas nucleares

por Soraia Alves

De acordo com a LiveScience, cientistas chineses vão testar o primeiro reator nuclear que não de precisa água para resfriar. Sua à base de tório líquido e sal fundido produz resíduos mais seguros, além de não poder ser facilmente usada para armas nucleares.

Visto como o primeiro reator nuclear “limpo”, o protótipo inicial do projeto deve ficar pronto já em agosto, com os primeiros testes sendo realizados em setembro. Já um reator comercial em grande escala deve estar pronto em 2030.

Além da questão de uso de recursos ambientais, o reator chinês também tenta minimizar alguns problemas comuns a reatores nucleares. Os reatores de urânio convencionais, por exemplo, produzem resíduos que permanecem extremamente radioativos por até 10 mil anos, exigindo contêineres de chumbo e ampla segurança para o armazenamento. Os resíduos também incluem plutônio-239, elemento essencial para a produção de armas nucleares. Há ainda a preocupação com o estrago causado pela radiação em um eventual caso de um vazamento, como aconteceu em Chernobyl.

Os reatores de tório, no entanto, dissolvem seu elemento-chave em um sal de flúor, que produz principalmente urânio-233, que pode ser reciclado em outras reações. Outras sobras da reação têm meia-vida de “apenas 500 anos”, como destaca a publicação. Em caso de um vazamento, o sal fundido esfria o suficiente para selar efetivamente o tório e evitar vazamentos significativos.

O primeiro reator comercial está localizado em Wuwei, uma cidade deserta na província de Gansu. As autoridades também veem isso como uma forma de promover a expansão internacional da China. O projeto também faz parte da proposta do presidente chinês, Xi Jinping, de alcançar a neutralidade carbônica no país até 2060.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link