cover-youtube

YouTube atende TSE e suspende pagamentos a 14 canais investigados por desinformação

Suspensão vale para canais do Terça Livre, Jornal da Cidade Online e de Oswaldo Eustáquio, suspeitos de disseminarem notícias falsas sobre o sistema eleitoral do país

por Pedro Strazza

O YouTube na última quinta-feira (26) suspendeu pagamentos a produtores de conteúdo de 14 canais, em atendimento a ordem emitida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por conta de atual processo de investigação sobre a disseminação de desinformação.

De acordo com a Reuters, a decisão do TSE vem do corregedor-geral da Justiça Eleitoral, o ministro Luis Felipe Salomão, e ainda impõe que a Twitch, o Twitter, o Instagram e o Facebook suspendam o repasse financeiro aos envolvidos que possa ser obtido a partir da veiculação de anúncios. Todos os investigados são suspeitos de terem repassado notícias falsas sobre o sistema eleitoral do país ao público por meios desses canais e incluem redes de apoio ao presidente Jair Bolsonaro como o Terça Livre, o Jornal da Cidade Online e Oswaldo Eustáquio.

Ainda pela ordem, os valores previstos pelas redes sociais a tais grupos e indivíduos ficarão indisponíveis e segurados em uma conta judicial até que as investigações sejam concluídas. Os canais, porém, seguem na ativa no YouTube.

Ao G1, a companhia escreve que mantém seu compromisso de “permanecer colaborando com o trabalho das autoridades no Brasil” e que vai continuar a investir “em políticas, recursos e produtos” que protejam a comunidade de conteúdos considerados nocivos.

A investigação acontece dentro do inquérito maior do TSE sobre os ataques de Bolsonaro às eleições, conforme o presidente nas últimas semanas vem acusando seguidamente o órgão de fraude nas últimas e próximas votações para o cargo, mas não apresenta qualquer prova que ateste seus atos – mente, em resumo.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link