cover-facebook

Facebook anuncia nova política para combater ataques coordenados de ódio

Diretriz busca resolver vácuo entre os movimentos realizados por contas falsas e organizações classificadas como perigosas pela companhia

por Pedro Strazza

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (16) a implementação de uma nova política de segurança voltada especificamente a ataques coordenados de ódio. De acordo com o blog oficial, a diretriz chega para ajudar a companhia a melhor combater movimentos do tipo, cujo comportamento até então podia escapar pela tangente nas regras da plataforma.

A diferença aqui é que até então as políticas da rede social eram voltadas ao que é definido como “comportamento coordenado inautêntico”, isto é, ataques que vinham de redes de contas falsas. A nova diretriz, por outro lado, lida com ações que foram movidas por perfis legítimos, com o diretor de políticas de segurança Nathaniel Gleicher confirmando que a implementação é necessária para resolver casos em que as fronteiras entre os dois cenários são confundidas por usuários de más intenções.

“Nós estamos vendo grupos que posam um risco de dano social e também engajam em violações da plataforma, mas não necessariamente chegam ao nível de levar a gente combater de volta por comportamentos inautênticos ou pelas regras de organizações perigosas” descreveu Gleicher em coletiva à imprensa hoje, confirmando que a política é um protocole “desenhado para capturar grupos que meio que vivem entre esses espaços”.

Para fins de exemplo, o Facebook diz que a diretriz já foi utilizada para combater um movimento batizado de Querdenken, que vinha disseminando teorias conspiratórias na Alemanha sobre as restrições implementadas pelo governo no combate à pandemia e era conectado a atos de violência realizados fora da plataforma. A aplicação permite que a empresa derrube contas (como foi o caso desse grupo alemão) ou restrinja o alcance das publicações do mesmo quando necessário.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link