"Cidade do Futuro": exposição no Vale do Anhangabaú aborda conexões no pós-pandemia
verena
Imagem: Divulgação

“Cidade do Futuro”: exposição no Vale do Anhangabaú aborda conexões no pós-pandemia

São três instalações que refletem sobre os efeitos da pandemia na forma como o público se relaciona com o espaço e entre si

por Pedro Strazza

Acontece entre os próximos dias 10 e 19 de dezembro a exposição “Cidade do Futuro” no Vale do Anhangabaú, que propõe uma reflexão sobre as relações do público com a cidade, a tecnologia e as próprias conexões entre si no mundo pós-pandêmico. O projeto é patrocinado pela cerveja Tiger e conta com trabalhos de Felipe Morozini, Verena Smit e Marco Loschiavo.

Com visitação gratuita, a exposição conta com três instalações maiores e está prevista para contar com recursos de realidade aumentada da More Than Real, de forma a estender ao virtual as obras físicas criadas pelo trio. O projeto inclui “O sonho é eterno, a luta diária”, trabalho de Smit que trabalha a ideia do desejo dentro da subjetividade do tempo; “JUNTOS”, instalação de Morozini cujo foco está na coletividade humana desafiada pela pandemia; e “Tudo que você pode imaginar é agora”, peça de Loschiavo que provoca reflexões sobre o poder de transformar o ambiente em que se vive.

A curadoria da exposição é de Gabriela Splendore, fundadora da Stories Collective e da Cult Art, que na divulgação oficial comenta que o propósito maior foi de passar otimismo aos visitantes: “Convidamos artistas brasileiros a pensarem em mensagens inspiradoras, que transmitam a coragem, a liberdade e o otimismo que queremos para os dias que estão por vir.”, diz.

Já o diretor de marketing da Tiger, Renan Ciccone, escreve que a marca se envolveu na exposição por ter a “oportunidade de juntos transmitirmos coragem às pessoas nessa nova fase em que vivemos como sociedade”, explicando ainda que a cerveja foi criada em Singapura imersa na cultura urbana e na tecnologia.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link