"Bodyright": campanha quer acabar com abuso online e proteger contra assédio digital

“Bodyright”: campanha quer acabar com abuso online e proteger contra assédio digital

Ação integra os 16 dias de "Ativismo contra a Violência de Gênero", iniciativa proposta pela ONU entre novembro e dezembro

por Carolina Firmino

Com produção da Edelman, a United Nations Population Fund (UNFPA) apresenta a campanha “Bodyright”, que, ao proteger as imagens das pessoas contra a exploração, deseja acabar com situações de abuso online.

A comunicação é centrada em torno do símbolo do “copyright”, que a UNFPA chama de “novo copyright para corpos humanos”. Segundo o site Clube de Criação, desde a última semana, a UNFPA está convocando as pessoas a compartilharem fotos e histórias com esse símbolo a fim de protestar contra o uso não consensual de imagens de pessoas online.

Além disso, a organização sugere que os legisladores ajudem a proteger as imagens pessoais, da mesma forma como os ativos de negócios são protegidos por leis de direitos autorais. A poeta Rakaya Fetuga, que já escreveu e executou um trabalho original sobre o impacto da violência e do assédio na internet, é quem narra o vídeo principal.

Natalia Kanem, diretora executiva do UNFPA, faz uma denúncia sobre como não há preocupação o suficiente com a questão: “É hora de empresas de tecnologia e legisladores levarem a sério a violência digital. No momento, as marcas corporativos e propriedade intelectual com direitos autorais recebem maior proteção online do que seres humanos”, diz.

O lançamento, que aconteceu no final de novembro, integra os 16 dias de Ativismo contra a Violência de Gênero proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU), que segue até 10 de dezembro (Dia dos Direitos Humanos). O siteThe Virtual is Real foi lançado como proposta para esse movimento e apresenta depoimentos de vítimas e sobreviventes de assédio online.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link