"Mona Lisa" remodela experiência de 500 anos ao ganhar instalação digital
Mona
Imagem: Reprodução grandpalais.fr

“Mona Lisa” remodela experiência de 500 anos ao ganhar instalação digital

A exposição ficará em Marselha, na França, e deve explorar a jornada da obra para a fama e o impacto que ela deixou no mundo da arte 

por Carolina Firmino

As exposições imersivas não ficarão restritas apenas às obras de Vang Gogh, que foram projetadas em alta definição nas paredes e no chão no final de 2020. Uma instalação digital vai fazer o público viajar séculos para reimaginar a pintura mais famosa do mundo: “Mona Lisa” ou “A Gioconda”.

Intitulada “La Joconde” (o nome francês da obra-prima de Leonardo da Vinci), a mostra multimídia preparada pelo Museu do Louvre e o Grand Palais, um edifício localizado na cidade de Paris, mergulhará na história da pintura por meio de seis temas, explorando sua jornada para a fama e o impacto que deixou no mundo da arte. 

Na exposição de alta tecnologia, as pessoas poderão ver “Mona Lisa” muito mais perto, o que, de certa forma, elimina a frustração de ter que se acotovelar na multidão para ver a pintura real.

Segundo o DesignTAXI, os museus estão levando esse aspecto interativo muito mais a sério agora, considerando as reações positivas extraídas de tais instalações. Quando reabrir em 2024, o Grand Palais pretende incluir um espaço para receber experiências digitais imersivas e já lançou um programa chamado “Grand Palais Immersif”, com o objetivo de levar as mostras também para o exterior – apesar do descontentamento de muitos conservadores, que preferem se dirigir até o local da obra original.

La Joconde” estará aberta entre 10 de março e 21 de agosto no Palais de la Bourse, em Marselha, na França. Os ingressos em pré-venda já estão disponíveis aqui.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link