Twitter começa a testar no Brasil opção de denúncia de compartilhamento de informações falsas

Twitter começa a testar no Brasil opção de denúncia de compartilhamento de informações falsas

Ferramenta já estava em teste nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália desde o ano passado

por Carolina Firmino

Demorou, mas a mobilização contra perfis brasileiros do Twitter que compartilham fake news trouxe resultado. O aplicativo anunciou nesta segunda-feira (17) o uso de um mecanismo para denunciar conteúdos que estejam violando suas regras sobre informações enganosas. Atualmente, a possibilidade de denúncia está em teste apenas nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália, e agora passa a ser adotada no Brasil, na Espanha e nas Filipinas.

Segundo O Globo, o Twitter selecionou esses países porque deseja “colher aprendizados de uma pequena, porém geograficamente diversificada, gama de regiões – incluindo aquelas em que o inglês não é o primeiro idioma – antes de tornar a ferramenta disponível globalmente”.

Outro ponto levado em consideração é o fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas, assim como o meio de mandato presidencial nos Estados Unidos. O Twitter acredita que isso vai contribuir para avaliar como a ferramenta pode ser utilizada em períodos de grandes eventos cívicos.

Recentemente, a hashtag “#TwitterApoiaFakeNews” ficou em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados do Brasil, sempre acompanhada de pedidos para que o Twitter aja de forma mais rígida contra a divulgação de fake news, em especial no que diz respeito à pandemia e inverdades sobre a vacinação. Na ocasião, o Twitter pontou que qualquer ação dependeria de uma avaliação particular sobre as mensagens.

Agora, na nota divulgada pela rede social, o Twitter explica que 50% do conteúdo que viola suas regras é identificado por sistemas automatizados, enquanto o restante passa por um monitoramento contínuo de uma equipe interna ou parceiros de confiança. Por fim, o comunicado conclui que a ferramenta deve ajudar a compreender melhor a narrativa de desinformação e impedir a circulação de conteúdo enganoso em tempo real.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link