Auto-atualização em páginas web: até quando?

Auto-atualização em páginas web: até quando?

por Cris Dias

Hoje o iG lançou um novo desenho para sua homepage, claramente um avanço em relação ao anterior, com mais espaços em branco valorizando a leitura em vez daquela filosofia macacão-de-piloto-de-F1 de colocar o máximo de informação por centímetro que é mania em tantos outros portais. Gostei muito. Mas logo um amigo veio lembrar que o site continua seguindo a péssima prática de forçar uma atualização automática da página depois de algum tempo. Você está lá conferindo os fatos que marcaram o Brasil e o mundo e PAM! a tela atualiza sem você ter pedido. Outro dia estava eu na home do Guia da Semana quando rolou uma dessas atualizações forçadas. O problema é que eu estava vendo um dos vídeos da página, com as estréias da semana, e não consegui nem chegar ao final. Lamentável.

A justificativa é de que como são sites de notícias a atualização é necessária para manter notícias sempre fresquinhas para você amigo internauta. A prática não é exclusividade do iG, todos os maiores portais nacionais querem deixar você com a sensação de estar vestindo uma home que acabou de tirar da gaveta. É o famoso “todo mundo faz, é prática do mercado”.

iG: 160 segundos
Terra: 180 segundos
UOL: 250 segundos
G1: 300 segundos
Já o Yahoo! Brasil é mais legal ainda: ele tem um Javascript que dá um refresh aleatório baseado em coisas que acontecem na página.

Está tudo lá no código-fonte dos sites, é só dar um “view source” e conferir.

Só que para mim e muita gente boa por aí isso não tem nada a ver com atualização de notícias. Afinal de contas quantas coisas novas realmente acontecem em 160 segundos? A teoria conspiratória é que tudo não passa de manobra para inflar os números da audiência. Você chega no trabalho, abre a home do seu portal, vai ali pegar um café, seu chefe te pergunta uma coisa no corredor… e magicamente o portal tem um maravilhoso aumento de tráfego.

Os sites não só vivem de venda direta deste tráfego na forma de inventário de banners como também brigam pelas primeiras posições do ranking dos maiores do país. Em sites que são vistos por zilhões de pessoas um ajuste de 10 segundos nessa taxa de atualização pode significar um crescimento de fazer diferença nos relatórios e nos cofres. (por outro lado a taxa de clicks-por-impressão que já costuma ser baixa nesse tipo de mídia tende a despencar de vez)

Será que quem compra mídia sabe disso? Será que consegue calcular o número de pessoas que realmente vê o banner? O B9, é claro, não segue essa prática em respeito aos leitores e anunciantes.

Repito então a pergunta do título Auto-atualização em páginas web: até quando?

PS: A imagem-título do post não é de nenhum grande portal, fica aqui como easter egg. É de um site muito mais malandro que coloca o refresh não na página toda, mas só no banner que, para quem entende de HTML, fica num IFRAME atualizado a cada 45 segundos. Não vou dizer qual site é para não arrumar problema para o meu lado.

Compartilhe: