je-suis-charlie

Após tragédia, cartunistas e desenhistas homenageiam Charlie Hebdo

Insistente e provocadora, a revista se tornou conhecida no mundo todo após o ataque terrorista em sua redação

por Jacqueline Lafloufa

Na manhã da última quarta-feira, 7 de janeiro, atiradores invadiram a redação da revista satírica Charlie Hebdo e mataram 12 pessoas, deixando outras 11 feridas.

Além do terror provocado em Paris por conta da tragédia, pessoas do mundo todo ficaram estarrecidas com o que isso poderia significar para a liberdade de expressão. Na noite do mesmo dia, milhares de pessoas se reuniram na Place de la République para lamentar a morte de jornalistas e cartunistas da revista. Muitos levavam em mãos o cartaz “Je Suis Charlie”, com fundo preto, que constava no site da Charlie Hebdo desde poucas horas depois da tragédia.

Até agora, a hashtag #JeSuisCharlie continua no topo do trending topics mundial, e diversos desenhistas e cartunistas demonstraram seu pesar criando charges que rememoram os cartunistas da Charlie Hebdo ou que destacam o poder de um papel e lápis sobre a tentativa de cercear a liberdade de expressão.

Se alguém não conhecia a Charlie Hebdo, ou se não tinha ideia da sua importância histórica, não se pode dizer o mesmo depois desse 7 de janeiro. Abaixo, o B9 elenca alguns dos melhores cartuns sobre a tragédia.

Nous Sommes Charlie.

 

O cartum abaixo foi postado por uma conta popular que homenageia o artista Bansky, mas não trata-se de uma arte dele, mas sim de Lucille Clerc:

Atualização às 11:10:

O brasileiro Carlos Ruas também fez a sua colaboração:

carlos-ruas

Compartilhe: