happn-abuso

Aplicativo de encontros Happn simula usuária violentada em campanha anti-abuso

Programa diz que uma em cada três mulheres cadastradas já sofreram algum abuso

por Rafael Silva

Assim como diversas marcas e organizações, o aplicativo de encontros Happn escolheu o Dia Internacional da Mulher para chamar atenção a um problema que as mulheres podem encontrar ao longo da vida. O programa começou hoje, em parceria com a organização Equality Now, uma campanha de uma semana no aplicativo para conscientizar seus usuários sobre a violência contra a mulher.

Quem abrir o aplicativo hoje verá uma mensagem avisando que “você pode notar algo diferente na sua timeline do Happn hoje”. A diferença é que em algum momento na timeline será exibida a foto de uma mulher com marcas de violência no rosto e com o nome “I’m One in Three”. A descrição do perfil justifica esse nome: “uma a cada três mulheres que cruzam nossos caminhos todos os dias já passou por algum tipo de abuso físico ou sexual”. A ação acontece em 21 cidades onde o Happn está disponível, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro.

Ao abrir o perfil, o usuário também vê uma galeria de imagens da usuária com as marcas da violência desaparecendo a cada foto, algo que segundo o aplicativo serve para mostrar que “o primeiro passo para dar um fim à essa violência é prestar atenção nas mulheres”. Didier Rappaport, CCO e co-fundador do Happn, disse sobre a ação que “fazendo a conexão entre sobreviventes de abuso a mulheres negligenciadas e o resto de nós que de outra forma passamos por elas todos os dias é um do grandes serviços que o Happn pode fazer para essa causa.”

Na descrição do perfil também há um link de doação para a organização Equality Now, que luta para acabar com a discriminação e a violência contra mulheres ao redor do mundo.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link