SXSW 2017: Mulheres na cozinha, na computação e até em Marte

Palestras sobre temas variados mostram que as mulheres conquistam cada vez mais poder de fala no festival

por Carolina Novais / Designer de Interação na Huge

Durante a fatia Interactive do SXSW 2017, é notável que a representatividade racial, nos palcos e nas plateias, foi aquém do ideal. Pelo lado positivo, vi bastante mulheres entre o público e nas mesas de fala, tanto em palestras menores como nos keynotes principais.

Das palestrantes femininas que tive a oportunidade de conferir, três duplas de mulheres se destacaram, falando sobre assuntos bastante distintos e mostrando que estamos (e devemos estar) por toda parte, onde bem entendermos — sem dúvida uma inspiração pra mim, que também falaria em um painel no festival, alguns dias depois.

No lounge da National Geographic, rolou uma conversa excelente com Kimberly Bryant, fundadora e diretora-executiva da ONG Black Girls Code, dedicada a apresentar meninas negras ao mundo da tecnologia e computação, e sua filha, aluna na instituição.

Durante o bate-papo, Kimberly, engenheira elétrica por formação, contou que quando estava na universidade sentia-se muito isolada e diferente dos demais alunos. Mais tarde, quando percebeu que sua própria filha estava interessada por games e computação, procurou um curso para ela e notou que, assim como nos tempos da sua faculdade, quase não haviam meninas nessas aulas — negras então, menos ainda.

Foi assim que ela decidiu fundar, em 2011, o Black Girls Code, que atende meninas negras de 7 a 17 anos com o objetivo de aumentar a sua representatividade e sua inserção no mercado da tecnologia. Uma curiosidade legal que ela contou foi que, no início da iniciativa, a intenção era dar aulas apenas para meninas do Ensino Médio.

Mas, aos poucos, as irmãs mais novas dessas alunas foram aparecendo (a princípio só para esperar/acompanhar as irmãs) e se mostraram mais curiosas, engajadas e empolgadas para aprender do que as mais velhas. Logo, ela percebeu que essas jovens eram capazes de aprender junto com as irmãs mais velhas, e até acabavam por inspirá-las com sua curiosidade e vontade de aprender. O resultado foi que a iniciativa passou a aceitar alunas a partir dos 7 anos de idade.

Hoje o Black Girls Code opera em várias cidades dos Estados Unidos e planeja expandir para outros países também — quem sabe não conseguimos uma parceria para trazer a iniciativa pro Brazil?

A última grande invenção de aparatos culinários antes do sous vide foi o microondas

compartilhe

Já no painel “The Smart Kitchen: Cooking Better with Technology”, tive o prazer de ver uma conversa super divertida e dinâmica entre duas mulheres bastante diferentes, porém com perfis complementares. Na mesa estavam Vivian Barad, diretora do “Design for Food Studio”, da consultoria IDEO, onde realiza pesquisas e projetos para cliente do ramo culinário, pensando como será a cozinha do futuro e como as marcas podem nos ajudar a criar produtos com foco em melhorar nossa qualidade de vida; e Lisa Fetterman, figuraça, show-woman, CEO e cofundadora da Nomiku, a primeira máquina de cozimento a vácuo (sous vide) e slow cooking financeiramente acessível do mercado.

De acordo com Lisa, a última grande invenção de aparatos culinários antes do sous vide foi o microondas, e fazê-la acessível traz oportunidades incríveis para as pessoas, como economia de tempo e praticidade para fazer saborosos pratos sem grande esforço — por experiência pessoal com a máquina dessas do meu namorado, posso atestar: ela é super prática e útil. Mas, para além dos benefícios práticos, Lisa mencionou o benefício emocional de uma tecnologia dessas: a facilidade de preparo do sous vide mexe diretamente com a auto-estima das pessoas (“Fui eu que fiz isso!”). Elas então debateram sobre o futuro da cozinha, dos nossos hábitos alimentarem e as necessidades que já conseguimos mapear para o nosso futuro.

O terceiro painel que me chamou atenção com mulheres no lugar de fala foi nada menos que o da Nasa, um dos mais esperados por mim. Em “So, you want to go to Mars”, quatro profissionais da Agência Espacial Americana, entre eles duas Jessicas — a astronauta Jessica Meir (eu conheci uma astronauta!) e a engenheira Jessica Vos — falaram sobre os preparativos para a viagem tripulada a Marte.

Meir contou que realiza seu treinamento físico para a viagem em lugares reais na Terra, que se assemelham de alguma forma às condições físicas esperadas no planeta vermelho, com escaladas, sessões de mergulho e atividades físicas em condições extremas. Ela ainda explicou que, durante a jornada, ela contará com acompanhamento psicológico de profissionais da Terra, já que o enclausuramento com as mesmas pessoas, durante o longo período necessário para a viagem, será uma das maiores provações para a equipe.

Já Jessica Vos falou sobre os desafios de se projetar equipamentos que possam tornar possível a ida de Meir e dos demais astronautas a Marte. Ela contou, e mostrou alguns vídeos, sobre como a comida da viagem deverá que ser armazenada — alimentos de emergência extremamente calóricos e aqueles que devem ser frescos, para terem o máximo de nutrientes e tragam uma familiaridade caseira aos astronautas. Essa preocupação de familiaridade terrestre também é estendida ao desenvolvimento da própria nave que será usada na viagem: um ambiente super técnico e com espaço limitado, mas que precisa ser ambientado o mais próximo possível de uma residência, para diminuir a percepção de confinamento dos tripulantes.

E, claro, não faltaram gifs do Matt Damon e piadas entre os profissionais durante a apresentação.

Escolhi falar sobre essas seis mulheres porque acredito que a diversidade dessas palestras mostra como nós, mulheres, precisamos (e podemos) estar cada vez mais nesse lugar de fala, já que, sim, podemos estar na cozinha, mas também em iniciativas de tecnologia, em Marte, no SXSW, aqui no B9 e onde mais quisermos.

Esse conteúdo é oferecimento da Apex-Brasil, que divulgará durante o SXSW 2017 a campanha Be Brasil, uma narrativa envolvente que promove um Brasil confiável, inovador, criativo e estratégico no mundo dos negócios. Saiba mais em www.bebrasil.com.br/pt

Compartilhe: