#EscutaAsMinas: Skol abre suas redes sociais para saber como mulheres querem se ver em campanhas de cerveja

Consumidora serão ouvidas nas redes sociais e verão suas frases no próximo comercial da marca

por Soraia Alves

A cerveja Skol propôs uma ação que visa promover mudanças significativas em suas propagandas. Mas, para isso, antes de tudo é preciso escutar seu público.

Para isso, a marca se uniu a um time 100% feminino e ouviu suas opiniões, seus olhares e seu entendimento de representatividade, para dar início a um projeto Escuta as Minasque tem como princípio máximo escutar as minas e amplificar suas opiniões.

Para o novo projeto, a marca resgata um comercial de 2002 chamado “Paquera”, que mostrava uma moça de biquíni na praia que tentava, com gestos, se comunicar com um rapaz, e não era entendida ou ouvida.

Já o novo vídeo levanta a discussão que a cerveja quer amplificar: por que as mulheres não são compreendidas na publicidade? Por que não são ouvidas?

Assim, na versão de 2018, nomeada “Bar”, a cerveja coloca as mulheres como protagonistas, bebendo e não mais servindo, como acontecia no passado.

O comercial acompanha um movimento completamente interativo nas redes, onde a Skol vai literalmente ouvir suas cosumidoras. Será aberto um espaço para que as mulheres possam dar suas opiniões e dizer o que gostariam de ver em propagandas de cerveja.

Essas opiniões se transformarão em um novo filme, que vai ao ar na TV aberta no dia 25 de março, e que levará frases das participantes, amplificando a voz dessas mulheres, para que o Brasil inteiro escute as minas.

A pesquisa Skol Diálogos, feita pelo IBOPE Inteligência, constatou que todas as formas de preconceitos – machismo, racial, LGBTFOBIA, estético – estão presentes no cotidiano do brasileiro, sendo praticado ou presenciado. Mas é o machismo que está presente no cotidiano de 99% dos brasileiros ouvidos, sendo que 61% admitem que já pronunciaram algum comentário desrespeitoso contra as mulheres, mesmo que a maioria não reconheça que tenha atitudes machistas.

Compartilhe: