fbpx
google-b9

Google adquire energia sustentável suficiente para suprir sua demanda operacional

Empresa alcança meta de compensar todo o uso de energia que consome

por Ana Roza

Em 2016 o Google fez uma promessa arriscada: compensar em 100% todo o uso de eletricidade de seus escritórios e datacenters com energia renovável. Depois de chegar perto em 2017, hoje, a empresa anuncia que bateu sua meta. Segundo seu comunicado, isso os torna a primeira empresa do ramo a conseguir alcançar esse número e compensar cada quilowatt/hora de energia gastos com fontes renováveis.

Esse é um dos passos que o Google tem tomado para se tornar “mais limpa”. Em 2007 a empresa se comprometeu a ser neutra em carbono, o que a levou a começar o investimento em energias verdes. Para que sua promessa seja realmente efetiva, essa é uma mudança contínua. Segundo o comunicado, todos os anos novos contratos são assinados para novos projetos de geração de energia renovável, conforme os mercados em que suas operações se estabelecem.

Google possui 26 locais de energia renovável pelo mundo.

Após os contratos assinados, a construção do parque eólico ou campo solar leva cerca de dois anos. Para conseguir manter sua meta, o ano de 2017 teve um número recorde na realização desses empreendimentos. Os projetos que passaram a operar nessa data alcançaram energia suficiente para cobrir o consumo do Google em 100% durante todo o ano. Mesmo assim, a tradução certa da palavra não é “substituir”, como explica a empresa.

“Dizemos que ‘igualamos’ nosso uso de energia porque ainda não é possível impulsionar uma empresa de nossa escala em 100% de energia renovável.”, afirma o comunicado oficial.

Dessa forma, o que o Google faz é adicionar a mesma quantidade de energia consumida, em forma de fontes renováveis, em algum lugar. Uma compensação de quantidade, mesmo que não seja diretamente para suas ações.

Para a empresa, a importância está na construção de novos centros de produção de energia renovável, assim como na inserção dessas fontes no consumo mundial.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link