Lojas da Starbucks fecham para dar curso aos funcionários contra práticas racistas

Medida foi anunciada depois de dois homens negros serem presos injustamente em loja da rede da Filadélfia

por Soraia Alves

No próximo dia 29 de maio, todas as lojas da rede Starbucks nos Estados Unidos ficarão fechadas durante o dia todo. O anúncio foi feito pela empresa na última terça-feira, 17/04, que também explicou o motivo do fechamento especial.

A rede ministrará um curso contra práticas racistas a todos os seus funcionários do país. A medida vem após um episódio racista ocorrido em uma das lojas da rede na Filadélfia.

Na ocasião, dois homens negros relataram que estavam sentados na cafeteria, esperando um terceiro amigo. Eles ainda não haviam consumido nada justamente porque esperavam o amigo chegar para consumirem juntos. Durante a espera, eles pediram para usar o banheiro da loja, e um funcionário negou o acesso, alegando que era exclusivo para clientes.

Mesmo com os dois homens explicando a situação, a gerente pediu que eles deixassem a loja e, quando eles se recusaram, ela chamou a polícia.

Os dois foram algemados mesmo não apresentando resistência, e levados à delegacia pelos policiais. Lá eles ficaram oito horas sob custódia.

Toda a situação foi registrada em vídeos de clientes que também estavam na cafeteria e ficaram indignados com o acontecido. Todos confirmam a versão dos dois homens dizendo que eles não fizeram absolutamente nada para que a polícia fosse chamada.

Outros vídeos mostram, em diferentes lojas, pessoas brancas pedindo para usar o banheiro e sendo liberadas, mesmo sem consumir nenhum produto.

Em comunicado, o Starbucks pediu perdão pelo ocorrido, ressaltou que a atitude pessoal da gerente não reflete o posicionamento da empresa, e anunciou o treinamento especial.

Segundo Kevin Johnson, presidente da empresa, o vídeo é “difícil de assistir” e a conduta na loja “equivocada“. Ele foi pessoalmente até a loja da Filadélfia e disse que “Apesar de isto não se limitar à Starbucks, estamos comprometidos em ser parte da solução. Fechar as nossas lojas para uma formação contra práticas racistas é só um passo em um caminho que requer dedicação por todos os níveis da nossa empresa e dos sócios em nossas comunidades“.

Cerca de 175 mil funcionários de todas as lojas nos EUA.

Compartilhe: