“Flor da Vida”: campanha distribui flor especial para mulheres da região amazônica se lembrarem de exame preventivo

Planta que floresce uma vez por ano funciona como calendário para exame preventivo do câncer do colo do útero

por Soraia Alves

O Estado do Pará tem três vezes mais casos desse tipo de câncer do colo do útero que a média do país. São até 46 casos a cada 100 mil mulheres. Os altos índices podem ser explicados pela carência de infraestrutura na região, pouco acesso à informação, pobreza extrema e analfabetismo, dificultando a ida das mulheres ao médico. De 2012 a 2017, o número de mulheres que fazem o exame preventivo inclusive caiu 25% de acordo com dados da Secretaria da Saúde do Pará.

Pensando em ajudar na mudança desse cenário e alertar as mulheres sobre a importância do exame anual preventivo, o Grupo Hermes Pardini, com apoio da Secretaria da Saúde do Governo do Pará, e criação da Ogilvy Brasil, apresenta a campanha “Flor da Vida”.

A campanha traz uma flor especial que floresce uma vez por ano e, que tem a nobre missão de alertar as mulheres: chegou a hora do exame anual que ajuda no diagnóstico precoce do câncer de colo do útero.

A flor é um híbrido de cattleya, desenvolvida pelo orquidófilo Sergio Barani, especialista com mais de 50 anos de experiência. Trata-se de uma planta que consegue se adaptar ao clima da região amazônica e florescer a cada 12 meses, funcionando como um calendário inspirado na natureza.

A Flor da Vida foi registrada na Royal Horticultural Society, da Inglaterra, e está sendo distribuída às mulheres da região das ilhas de Belém do Pará.

Até agora, 5 mil flores foram entregues por agentes de saúde que viajam de barco para chegar em toda a região. Além disso, são promovidos eventos locais onde as mulheres podem assistir a palestras que ensinam a cuidar da orquídea para que ela floresça uma vez ao ano e, claro, sobre a importância de fazer o exame preventivo e de cuidar da saúde.

Como resultado da campanha, desde o começo de março até agora cerca de 1 milhão de mulheres já foram impactadas. Segundo Dra. Heloisa Guimarães, secretária adjunta de gestão de políticas de saúde do Estado do Pará, 3 mil agentes de saúde foram envolvidos no projeto, desde a entrega das flores, a promoção de eventos com as mulheres e a realização de aulas educativas.

Félix del Valle, diretor de criação executivo da Ogilvy Brasil, ressalta a importância de ações com essa: “A publicidade tem um papel fundamental em campanhas como essa – leva conhecimento às pessoas e, no final, pode contribuir para que vidas sejam salvas“.

Compartilhe: