Ela está de volta: famosa planilha sobre como é trabalhar em agências do país ganha versão 2.0

Além das reclamações sobre salário, machismo e preconceito também foram muito apontados

por Soraia Alves

Lá em 2016, o mercado publicitário deu uma boa chacoalhada com a criação de uma planilha que revelava a realidade do dia a dia de trabalho em boa parte das agências do Brasil. Os comentários feitos de forma anônima, expuseram um pouco mais sobre a crise nessa área, além de deixarem muitos chefes nada felizes ao constatarem que suas empresas não estão livres da toxidade no ambiente.

Dois anos depois a planilha “Como é trabalhar aí?” ganha uma versão 2.0, com uma visão mais atualizada sobre o que tem rolado nas agências de publicidade do país, principalmente em relação ao que elas causam na saúde mental de seus profissionais.

Além de vermos que os salários pagos nas agências continuam sendo ruins (o que a gente sabe que é um problema geral da área de Comunicação), saltam aos olhos que percorrem a planilha o grande número de denúncias de preconceito e machismo – o que explica muito como certas peças são aprovadas mesmo quando o tom da campanha é duvidoso.

Há também muitas reclamações sobre a falta de modernização dos processos de trabalho e criação de algumas agências, o que obviamente sabemos que interfere no produto final.

Para quem quiser dar o seu depoimento, o link para responder é esse. Para apenas ver as respostas, é esse.

Compartilhe: