Falha no sistema foi um dos motivos para acidente fatal com Uber autônomo

Carro detectou ciclista como elemento 'falso positivo', aponta relatório

por Gabriel Ribeiro

Um relatório preliminar obtido pelo site The Information, divulgado no início desta semana, começa a esclarecer o que ocorreu no acidente envolvendo o carro autônomo do Uber. Tudo indica que uma falha no sistema de segurança do automóvel pode ter contribuído para a fatalidade que tirou a vida de Elaine Herzberg, em março, no Arizona, Estados Unidos.

O problema, segundo o documento, estaria ligado ao software que controla como o carro deve reagir aos objetos. O sistema teria detectado a ciclista como um  elemento ‘falso poubsitivo’. Este mecanismo foi criado para tornar a viagem mais suave. Ele evita que o carro tenha freadas bruscas ao visualizar objetos sem perigo na estrada, como uma sacola ou um copo, por exemplo.

A questão está no ajuste do software feito pelos engenheiros da empresa. A detecção de objetos foi configurada de uma forma pouco criteriosa, ao ponto de visualizar uma humana com uma bicicleta e julgá-los que não oferecessem risco. Elaine Herzberg foi considerada um ‘falso positivo’.

O relatório completo com as causas do acidente ainda está sendo feito pelo Uber em conjunto com o NTSB (Conselho Nacional de Segurança no Transporte, em inglês). Ainda não há uma data para ser divulgado. Procurada, a empresa diz não poder comentar sobre o incidente. Após a fatalidade, a Uber cancelou os testes envolvendo carros autônomos. O mesmo caminho seguiu a Toyota.

Compartilhe: