Adobe e 65|10 lança segunda edição do Mulheres (In)Visíveis, projeto que destaca a diversidade da mulher brasileira

Com fotos tiradas por Helen Salomão, iniciativa conta com um banco de 97 imagens com registros de mulheres de todos os tipos e perfis

por Pedro Strazza

Que a publicidade brasileira vive de estereótipos é um fato que ninguém discute. Embora a representatividade tenha se tornado pauta das agências nos últimos anos, o meio da propaganda ainda propaga ideais de beleza inalcançáveis, especialmente com as mulheres que são representadas sob diferentes formas de divulgação com o mesmo perfil, o da modelo de proporções corporais e faciais perfeitas.

É para anular este procedimento e promover novas formas de representação que a Adobe e a consultoria 65|10 criaram o Mulheres (In)Visíveis, banco de imagens do Adobe Stock que busca evidenciar a diversidade de mulheres na sociedade brasileira. Lançado no ano passado, o projeto chega agora à sua segunda edição com um olhar ainda mais profundo sobre o tema, dando protagonismo a mulheres negras, gordas, lésbicas e trans em 97 fotografias.

“A gente não queria que fosse um olhar estrangeiro – essa sempre foi nossa maior preocupação e nosso maior cuidado” explica Thais Fabris, fundadora da 65|10; “Todo o processo buscou trazer as mulheres para o diálogo e para que construíssemos, todas juntas, o entendimento de como elas queriam ser representadas. A constatação de que 65% das mulheres brasileiras não se identificam com a forma como são retratadas na propaganda é um indicativo de que precisamos mudar”.

A segunda incursão do projeto também conta com o diferencial de ter a fotógrafa Helen Salomão no comando dos registros. Conhecida por um trabalho de pouco intervencionismo e com forte participação da modelo no processo criativo, a fotógrafa afirma que o Mulheres (In)Visíveis foi a sua produção mais importante da carreira até o momento pelo desafio de “não padronizar as mulheres e de respeitar a individualidade e as particularidades de cada uma, o que de fato aconteceu. Conseguimos abordar a diversidade de uma forma delicada, com sensibilidade e chegamos a um resultado muito gratificante”.

“Fazer parte do projeto Mulheres (In)visíveis é uma honra” diz Gabriela Viana, diretora de marketing da Adobe da América Latina, sobre a iniciativa; “Vê-lo crescer nos enche de esperança de que estejamos mais próximos de reconhecer não só a beleza na diversidade, mas também o inegável impacto positivo – para empresas
e pessoas – de refletir sobre e incluir diferentes realidades”. Ao contrário da edição anterior – onde atuou como apoiadora – a Adobe patrocina esta segunda versão do projeto.

Confira abaixo algumas dos resultados da iniciativa. Você pode conferir todas as fotos do projeto na página oficial do Mulheres (In)Visíveis no Adobe Stock.

Compartilhe: