Group of people watching video on the mobile phone Imagem: Group of people watching video on the mobile phone while sitting at outdoor cafe. Three young friends sitting outdoors and looking at smartphone.

Consumo de vídeos online no Brasil cresceu 135% nos últimos 4 anos, diz estudo

Pesquisa também confirma queda do interesse pela TV a cabo e consolidação do YouTube como principal plataforma de vídeos no país

por Pedro Strazza

O consumo de conteúdo em vídeo feito para o digital está crescendo no Brasil. Isso, pelo menos, é o que diz um estudo feito pela Provokers, que em conjunto com a Box 1824 descobriu que a audiência do audiovisual para a internet cresceu nada menos que 135% nos últimos quatro anos.

A pesquisa, encomendada pelo YouTube e realizada pelas duas agências nos meses de fevereiro, março e julho deste ano com mais de 3.200 pessoas em diversas cidades e classes sociais do país, também afirma que no mesmo período o interesse por conteúdo para a televisão, ainda que tenha mantido taxas de crescimento consideráveis (o consumo pelo meio aumentou em 13%), perdeu certa força na parte da TV a cabo. De acordo com os dados coletados pela Provokers e a Box 1824, não só 43% dos entrevistados já não possuem assinatura de canais pagos como 74% destes não tem interesse em adquirir um serviço do tipo – e o aumento deste abandono é considerável se pensar que em 2015 34% do mesmo número de pessoas não tinha um pacote do tipo e, destes, somente 65% preferiam estar sem.

Mesmo na TV aberta o confronto com as redes claramente não está indo bem. Segundo a pesquisa, apenas 18% dos consumidores declararam aos entrevistadores que dão atenção exclusiva ao conteúdo em seus televisores, uma queda de quase 25% em relação ao cenário visto três anos atrás.

Quem está se dando bem nesta história toda é o próprio YouTube. O estudo aponta que o site é a plataforma mais usada pelos usuários, sendo preferência de 44% dos entrevistados. Para se ter uma ideia, isso é cinco vezes mais que a televisão aberta atualmente e bate com tranquilidade os 22% obtidos pela Netflix – sua natural maior rival – na mesma pesquisa.

Entre outros dados, a Provokers e a Box 1824 também confirmam que mais da metade das pessoas hoje reconhece o YouTube como uma opção de entretenimento e que 9 a cada 10 pessoas usam a plataforma para fins educativos.

Compartilhe: