Web Summit 2018: Magic Leap, uma nova era pro design de experiências?

Pioneira em Mixed Reality, empresa mostrou no evento um pouco da revolução que prometem instaurar no mercado nos próximos meses

por Juliana Vilhena Nascimento

Comecei meu dia aqui no Web Summit hoje tentando saber um pouco mais sobre a misteriosa Magic Leap, pioneira em Mixed Reality.

Apesar da sessão ter sido curta, deu pra entender de onde vem a revolução que eles estão prometendo: ao invés de construir uma camada sobre o mundo real, como fazem a maioria dos devices de realidade aumentada, eles usam “spatial computing” pra mapear os ambientes e integrar neles presenças de pessoas e objetos que realmente se comportam como parte da realidade: isso possibilita, por exemplo, que um robô possa se esconder atrás do seu sofá.

Brenda Freeman, CMO da Magic Leap, mostrou alguns exemplos meio básicos da tecnologia – o que acabou decepcionando parte da audiência. Mas é possível ver do que ela é capaz abaixo:

A chegada de Brenda na companhia coincide com um movimento de abertura – ou quase uma chamada – pra creators e developers usarem a plataforma Magic Leap pra desenhar experiências de MR nos mais variados segmentos: gaming, moda, medicina, entre ouros.

E falando em desenhar experiências, Graham McDonnel, do New York Times, deixou na sequência um método simples pra construir bom conteúdo em qualquer plataforma: “Make it Visual, Make it Move, Make it interactive e Make it obvious”.

Estas regrinhas de ouro podem até ter sido concebidas quando as experiências eram criadas em 2D. Mas taí o Magic Leap pra demonstrar que podem ser bem aproveitadas em 3D também. Tô doida pra experimentar IRL…

Compartilhe: