Clicky

A casa do futuro tem que ter um pouco de Heloisa Crocco

A obra da designer vai muito além de painéis e estampas

7.nov.2015

Uma das apresentações da Semana Design Rio foi a da designer e artista Heloisa Crocco e dos produtores do programa Casa Brasileira, do GNT. A história por trás da construção de sua casa-ateliê, à qual foi incorporada a cozinha-contâiner de seu filho Vico, e a da casa de colonos aproveitada inteiramente para uma bela casa de praia onde mora Thomaz, seu outro filho, foram destaque na temporada do programa e entre as palestras apresentadas aqui no Rio de Janeiro.

Heloisa destacou a sua intensa pesquisa, com mais de 40 anos, da madeira: como o material provê ricas texturas e cores em seus anéis e em sua corrosão natural quando exposta em cercas e casas antigas. Por querer capturar um pouco dessa história para contar novas, Heloisa utiliza o reaproveitamento de madeira para criar painéis, carimbos, formas e decorar de ambientes a roupas, bolsas e até pranchas de surfe. Mas a aplicação em casas diferentes é que merecem a nossa atenção nesta cobertura.

Captura de Tela 2015-11-07 às 8.24.16 PM
Há muito para entrar em qualquer discussão sobre a casa do futuro.

compartilhe

Nas construções apresentadas pela designer, fica evidente que a sua filosofia do reaproveitamento tem um quê de artístico – há beleza na história por trás do desgaste único de um toco de madeira – mas também abre o caminho para uma arquitetura bem sustentável. O uso de conceitos de construções antigas revela também cuidados que passaram a ser esquecidos ou deixados de lado com o advento do ar condicionado para resfriar os ambientes.

E mesmo a mescla com conceitos que estão sendo bastante utilizados, como a utilização de contâineres como peça para ampliações modulares de espaço, vemos uma preocupação com a facilidade de montagem e desmontagem e com menor intervenção nos terrenos e, portanto, nas árvores e outras plantas existentes no entorno.

heloisa02

Vale a pena ver um pouco mais sobre o trabalho de Heloisa Crocco, com certeza. Há muito ali para entrar em qualquer discussão sobre a casa do futuro e o futuro da moradia.

Também no B9

Comente