Clicky

lira-puskas

Como a internet brasileira fez Wendell Lira ganhar o prêmio Puskas

Não Salvo e Desimpedidos juntos ajudaram a levar o jogador ao pódio da FIFA

13.jan.2016

A história você provavelmente já viu por aí: Wendell Lira, um jogador de futebol da série D do Campeonato Brasileiro se viu alçado ao sucesso de uma hora para a outra ao vencer o prêmio Puskas de gol mais bonito de 2015, através de uma votação popular promovida pela FIFA.

O que você talvez não saiba é como isso aconteceu. A dinâmica lembra muito as tradicionais trollagens do Não Salvo, que coleciona no currículo histórias hoaxes como a do aplicativo Tubby, fazer a Coréia do Norte campeã da Copa do Mundo ou pifar iPhones temporariamente com um código do mal.

A diferença é que dessa vez a história premiou um brasileiro em uma categoria que contava com a concorrência de grandes nomes do futebol como Lionel Messi e Alessandro Florenzi, dando a Wendell uma nova chance de ver a sua carreira despontar.

Para entender como tudo aconteceu, o B9 foi conversar com André Barros e Rafael Grostein, sócios do canal Desimpedidos, que em parceria com o Mauricio Cid, do Não Salvo, levaram Wendell Lira de Goiás para o pódio da FIFA e para matérias do The New York Times

Oportunidade aliada a planejamento

O Desimpedidos iniciou seus trabalhos em 2013, a tempo de ser um dos grandes canais influenciadores durante a Copa do Mundo de 2014. Durante o campeonato mundial, eles conseguiram provocar Zlatan Ibramovic, jogador da Suécia, a vir para o Brasil mesmo que o seu time não estivesse entre os classificados para a competição.

Ou seja, movimentar a web não é novidade para o Desimpedidos. Dessa vez, com uma mãozinha do Não Salvo, eles decidiram que o gol mais bonito da FIFA de 2015 merecia ser de Wendell Lira, único brasileiro indicado entre os 10 melhores gols do ano.

Juntos, Desimpedidos e Não Salvo alcançam mais de 1 milhão de seguidores no Twitter e mais de 6,4 milhões de fãs no Facebook. E, de forma coletiva, essa audiência toda  foi convidada a votar no site da FIFA, chegando a colocar Wendell Lira na primeira colocação do prêmio Puskas.

“Se fosse o Neymar, a gente não ia fazer essa campanha toda. Mas a história [do Wendell] é muito interessante”

compartilhe

“Se fosse o Neymar, a gente não ia fazer essa campanha toda. Mas a história [do Wendell] é muito interessante. Na época da seleção do gol dele [para o prêmio Puskas], ele nem estava mais empregado no clube em que ele fez o gol. Ou seja, ele tinha um contexto muito atrativo para a gente”, explica André, em um bate papo exclusivo. “A situação se fez, e por estarmos muito conectados com o futebol e com o universo dos fãs, conhecendo muito como eles reagem, a gente aprendeu que eles gostam de fazer parte da história, de ter uma participação ativa. E sempre que a gente consegue colocar os fãs como protagonistas da história, a gente tenta fazer isso”, completa Rafael.

Mas não foi nada feito no atropelo. Desde a primeira conversa foram quase 3 meses de planejamento e de campanhas com a audiência dos sites. O sucesso foi se mostrando aos poucos, ainda que a dupla do Desimpedidos deixe claro que só de fazer Wendell chegar a ficar entre os 3 principais indicados pelo voto popular já era um enorme sucesso. “Ir para a Suíça já era um feito incrível para um menino que estava desempregado e jogava na terceira divisão do campeonato goiano. A gente queria levar ele até lá [premiação da FIFA]”, conta um empolgado André. “E Nem sabíamos se a FIFA ia premiar quem tivesse mais votos”. Em termos de volume, existia uma grande confiança de que a movimentação gerada pelos dois canais era suficiente para colocar Wendell no pódio. Mas será que a FIFA invalidaria a votação? Esse era um receio constante, já que a qualquer momento a entidade poderia mudar as regras da enquete, mudar o resultado para beneficiar alguém ou qualquer marmelada do tipo (afinal, a FIFA não anda com muito crédito no noticiário hoje em dia, né?)

Construção de marca e grandes números no YouTube

Os sócios do Desimpedidos garantem que o objetivo não era aumentar a audiência do site, mas reforçar a marca e engajar sua audiência. Somos o país que mais busca por futebol no Google, segundo a própria empresa, e essa paixão também se reflete nos acessos de videos online – segundo a própria Google, houve um aumento de 25% no número de inscritos em canais do YouTube que falam sobre futebol durante o ano de 2015, entre eles o canal do Desimpedidos.

Aumentou em 25% o número de inscritos em canais do YouTube que falam sobre futebol durante o ano de 2015

compartilhe

Acompanhando em tempo real a entrega do prêmio pela FIFA, um streaming ao vivo transmitido pelo Desimpedidos e contando com a participação de Mauricio Cid alcançou mais de 31 mil visualizações simultâneas, uma das maiores transmissões ao vivo do YouTube no Brasil. Tudo isso feito de forma orgânica, sem nenhum impulsionamento por anúncios.

(no minuto 37:32 dá pra ver a empolgação do grupo com a vitória de Wendell Lira)

A parceria editorial beneficiou os dois canais – tanto Não Salvo pode alcançar um novo público, divulgando seu novo canal de vídeos no YouTube, quanto o Desimpedidos pode usufruir de um maior poder de mobilização digital, algo que o Não Salvo faz muito bem. Ambos os sites também foram parar em uma matéria do The New York Times, que explicava a dinâmica que levou Wendell Lira a arrematar USD 80 mil (algo como R$ 320 mil reais) com o prêmio de gol mais bonito de 2015. Em entrevista à Época, Mauricio Cid explica que o mérito foi todo do jogador, e que os canais só deram um “empurrãozinho”.

 

https://twitter.com/naosalvo/status/686658270442958850

“Conseguiríamos fazer de novo, e seria novamente 100% legítimo o resultado”

compartilhe

Agora, retornando a Goiás, a vida de Lira provavelmente vai mudar, ao menos por algum tempo. O prefeito de Goianésia prometeu uma estátua do jogador, que deverá ser instalada em uma praça pública ou em frente ao estádio municipal. Além disso, o prefeito também promete buscar um título de cidadão goianense para o atleta, que ainda poderá ganhar uma série de selos comemorativa ao gol premiado.

E será que dá pra fazer isso de novo no ano que vem, na próxima premiação da FIFA? O pessoal do Desimpedidos não deixa a bola cair e promete colocar todos os fãs em campo de novo: “Conseguiríamos fazer de novo, e seria novamente 100% legítimo o resultado”, garantem eles.

Comente