ANTICAST_POST

AntiCast 226 – Desvendando o Nome da Rosa

A Grécia no Coração da Idade Média

17.mar.2016

Olá, antidesigners e brainstormers!
Neste programa, Ivan Mizanzuk recebe o filósofo Bortolo Valle, professor da PUC-PR, para uma conversa sobre as diversas camadas de significados que existem no livro e filme “O Nome da Rosa”, de Umberto Eco, que faleceu recentemente. O profº Bortolo foi aluno de Eco na Universidade de Bologna, justamente num curso sobre a semiótica da obra em questão, e pôde nos revelar uma série de coisas que não são tão claras à primeira vista. Teria a Igreja Medieval plantado sua própria bomba relógio ao preservar o conhecimento clássico?
[Atenção: o áudio está um pouco diferente, pois foi gravado ao vivo na PUC-PR]

>> 0h08min05seg Pauta Principal

Patreon AntiCast

MEDADINHERO

Curso de Storytelling do Ivan
10 de Abril (Online)
17 de Abril em São Paulo (Domingo)

Pensar Infográfico
19 e 20 de Março no Look Up Lab de Criação (Londrina-PR)
14 e 15 de Maio em São Paulo
Mais informações: [email protected]

Link
Zamilingrado debate: Grampos e o fim do mundo?

Podcasts do AntiCast
Visual+Mente
Três Páginas
Não Obstante
Projeto Humanos
É Pau É Pedra

Comente

  • Albert Camus de Aquário

    Hummm…estou sentindo um certo oportunismo aqui..

    A rosa é vermelha…sabe o que mais é vermelho ?
    “rosa” tem 4 letras…sabe o que também tem 4 letras ?
    o Sean Connery tem barba…sabe quem mais tem barba ?
    Esse programa tem um convidado…sabe onde mais tem um convidado ?

    Vc sabe a resposta ?

    Isso mesmo ! Jesus !

    Pq Jesus é a resposta pra todas as suas dúvidas !

    • Marllbourou Ruéd

      OPORTUNISTAS!!!!!!

    • Maiara Lizandra

      ahahahahahahah

    • Patrícia

      Pqp, mitou, seu oportunista!

    • Podegoso Shumy

      Mitou nos comentários!

    • Wesley Fuzinatto

      Eu tinha algumas a coisas dizer
      mas as suas palavras me convenceram a ficar calado

      • Wesley Fuzinatto

        Mas porra nenhuma a ver com nada quero citar o gordinho baixinho, negro, que foi pedreiro segundo algumas lendas acadêmicas… Enfim professor Rivair Macedo, o maior medievalista de umpais quenão teve idade média segundo dizem. Quem tiver curiosidade encontra trabalhos muito acessiveis dele na internet.

  • Patrícia

    Pra quem queria outro podcast “sobre tudo isso que está aí”, vou indicar esse post da Noisey com os remixes da grampeada violenta: http://noisey.vice.com/pt_br/blog/remix-ligacao-grampeada-dilma-lula?utm_source=noiseyfacebr

  • Oliver Queen

    Eu esperando um podcast badernista e vcs apresentam esse do filme do livro envenenado ?

    FALSOS POETAS !

  • Weslley Tresdê

    IVÃO POR FAVOR FAZ ANTICAST SOBRE O THOMAS PYNCHON NUNCA TE PEDI NADA

  • Oi Ivan, só uma pequena e boba correção aqui, quando o Bortolo fala de uma mulher (que me falhou miseravelmente entender o nome), que no século 11 ajuda a expandir a música Dodecafonica, que no caso acredito que ele quis dizer Polifônica, já que faz mais sentido com o período histórico, pois a musica dodecafonica baseada em 12 sons, veio somente a existir no início do século XX. Mas seria bem legal se fosse dodecafonica, imagina que tipo de música inominável estaríamos ouvindo hoje em dia.

  • Alexandre Ferreira Santos

    Excelente programa.
    Acho um pouco difícil ler Tomás sem pressupor Agostinho. A catedral daquele está construída sobre a cripta deste.

  • Muito bom o podcast. A respeito da Rosa do título, eu sempre achei que tivesse a ver com o trecho de Romeu e Julieta que diz “Se a rosa tivesse outro nome, ainda assim teria o mesmo perfume”, uma vez que tem a ver com a representação da verdade, também.
    Recomendo também o ensaio “Gaudy Rose-Eco and Narcissism”, de Teresa de Lauretis, que está no seu livro Technologies of Gender e aborda algumas questões linguísticas sobre O Nome da Rosa.

    • Desculpe a intervenção, esse trecho do Shakespeare é uma citação a essa discussão sobre os universais na Idade Média, ele estava já citando essa discussão toda.

      Tudo de bom!