Estreante na CCXP, Amazon faz painel para introduzir público a “Deuses Americanos” (e ao Prime Video)

Em busca de novos assinantes para seu serviço de streaming, empresa buscou acima de tudo atrelar a experiência de assistir a série baseada no livro de Neil Gaiman em seu canal

por Pedro Strazza

Ainda que a Amazon Prime Video esteja disponível no Brasil desde dezembro de 2016, o serviço de streaming de Jeff Bezos não “pegou” tanto quanto gostaria entre os brasileiros. Enquanto a Netflix alcançou o mainstream com velocidade e o Globoplay vem se reorganizando para alcançar o mesmo status, a participação do serviço da Amazon no mercado brasileiro vem sendo no mínimo tímida, apostando nos poucos originais do catálogo e com conteúdo “externo” limitado. O número de assinantes, é claro, está longe do volume da concorrência em terras tupiniquins.

Não chega a ser uma surpresa, então, que o painel de estreia da empresa na Comic Con Experience tenha carregado parte deste desejo do canal em ampliar seus horizontes no país. Em peso na divulgação da feira, o Prime Video veio ao auditório Cinemark com um painel que em teoria divulgava a segunda temporada de “Deuses Americanos”, produção da Starz que veicula em seu catálogo nas regiões fora dos Estados Unidos, mas os primeiros minutos da apresentação já indicavam que o tema do evento era menos sobre a nova leva de episódios da série que um convite ao público para conferi-la no Prime Video.

Se a princípio este cenário soava nada promissor, o painel acabou se revelando o contrário graças à Rick Whittle, ator que interpreta o protagonista Shadow Moon no programa baseado no livro homônimo de Neil Gaiman. Entusiasmado de estar no evento e dotado de uma personalidade muito envolvente, ele conseguiu reverter o papel ingrato de “emissário do estúdio” para converter as atenções do auditório à sua pessoa. O trunfo, acima de tudo, era manter o público participando da apresentação, algo que já foi sentido desde a entrada de Whittle em que ele se jogou do palco para a galera e foi percorrendo as primeiras fileiras do espaço.

A animação de Whittle em conhecer a plateia não era à toa, porém. Logo no começo da apresentação o ator já fez questão de revelar à plateia presente que foram os fãs os responsáveis por fazê-lo conseguir o papel principal na série, indicando o seu nome nas redes sociais na época em que o programa estava em pré-produção e ele atuava em “The 100”. Conquistado o trabalho, o esforço do ator para retribuir o gesto foi grande, o que incluiu entre outras coisas a dedicação para ganhar peso: de um personagem de proporções minúsculas no programa do the CW, ele chegou aos impressionantes 97 quilos atuais para viver Shadow Moon.

À partir daí, um mar de curiosidades sobre os bastidores da série começaram a ser narradas e recontadas pelo ator no palco do auditório, desde os aspectos mais técnicos da produção até avanços culturais dados pelo programa – como a primeira cena de sexo entre personagens muçulmanos na TV estadunidense, como ele lembrou quando para defender o tema da diversidade. A cada causo recontado, Whittle reiterava ao público quase que mecanicamente a mensagem de ir assistir “Deuses Americanos” no Prime Video e conferir a segunda temporada no dia 10 de março de 2019, mas seu entusiasmo contagiava e disfarçava o tom suplicante do pedido.

Tanto que as poucas e breves declarações do ator sobre o segundo ano foram recebidas com certa animação pelo público. Além de prometer a aparição de novos personagens e um nu em algum momento dos próximos capítulos (ou como ele bem diz, “shadow mooooon” enquanto acenava para o próprio traseiro), Whittle foi enfático ao afirmar que se “a 1° temporada foi de introduções, a 2° é sobre despedidas”. E enquanto o final é classificado por ele como algo de “explodir cabeças”, o começo da nova temporada será ambientado vinte minutos depois do fim da primeira e com todos os personagens presentes no último plano em conflito: “Farsantes sabem identificar outros farsantes, então o clima de desconfiança entre Shadow e Mr. Wednesday vai se intensificar” disse o ator.

Para quem esperava respostas sobre o atual estado de caos da produção da série – que recentemente perdeu o segundo showrunner após demitir Bryan Fuller e Michael Green do cargo -, ganhar uma garantia de que os novos episódios não só manterão o rumo do programa como irão colocar a história em movimento ou pelo menos um trailer da próxima temporada, o painel de “Deuses Americanos” na CCXP deste ano sem dúvida pode ter sido uma grande decepção. À Amazon, porém, a oportunidade de divulgar seu serviço e de atrelá-lo a um produto bem quisto pelo público deve ter dado muito certo, a sentir pelo estado entretido do público do auditório Cinemark no começo da quinta.

Compartilhe: