Depois de 43 anos no mercado, DM9DDB anuncia fusão com a Sunset e fim da marca DM9

Executivos da Omnicom e do Grupo ABC já estudavam o que fazer pelo futuro da agência. Resultado é a criação da SunsetDDB

por Soraia Alves

O anúncio do fim da DM9 deixou muita gente envolvida com o mercado publicitário nostálgica. Segundo a informação divulgada pelo site Meio & Mensagem,a DM9DDB foi incorporada pela Sunset, surgindo assim a SunsetDDB. Com isso, a marca DM9, presente há 43 no mercado publicitário nacional, deixa de existir. 

A fusão vem depois de perdas recentes e significantes da DM9, como as contas do Itaú e da Johnson & Johnson. Nos últimos meses, executivos da Omnicom e do Grupo ABC já estudavam o que fazer pelo futuro da agência, e o resultado foi o surgimento da SunsetDDB, que será comandada por Guto Cappio, atual presidente da Sunset.

Apesar dos problemas, em 2018, a agência também incorporou novos clientes importantes, como a Vigor e a OLX. Além disso, a DM9 ainda aparece bem cotada entre os profissionais da área. Segundo o Meio & Mensagem, em pesquisa feita pela Agency Scope neste ano, a agência apareceu como segunda colocada no ranking de conhecimento espontâneo.

A história da DM9

A DM9 é uma das principais agências da história da publicidade brasileira. Foi criada em 1975, em Salvador, pelo publicitário Duda Mendonça (o nome da agência é referência às suas iniciais), e em 1989 foi comprada por Nizan Guanaes e Guga Valente. Foi então que a agência se associou com a rede internacional DDB, e transferiu sua sede para São Paulo.

Ao longo dos anos, a agência colecionou clientes importantes, um portfólio invejado e prêmios de reconhecimento, como mais de 100 Leões do Festival Internacional de Cannes.

Entre a extensa lista de campanhas icônicas da agência, vale citar a “Mamíferos”, da Parmalat, a “Pipoca com Guaraná”, do Guaraná Antarctica e a “Completamente Louco”, do Itaú.

Sem grandes destaques nas campanhas deste ano, a agência chamou atenção pela polêmica gerada com a campanha de Natal da Perdigão, que foi alvo de protestos por reforçar estereótipos racistas ao retratar as famílias do comercial.

Compartilhe: