Super Bowl 2019: Em seu primeiro comercial para o evento, Washington Post homenageia o jornalismo

Com narração epopeica de Tom Hanks, “Democracy Dies in Darkness” presta respeito ao trabalho jornalístico e aos milhares que morreram na luta pelos fatos

por Pedro Strazza

Em meio a uma verdadeira enchente de comerciais que vão do bizarro ao maluco em 30 segundos, o Super Bowl 2019 é também o primeiro na História em que o Washington Post lança uma peça do tipo no evento. E o tema escolhido pelo jornal para este anúncio de estreia não é pequeno: o vídeo de um minuto é uma verdadeira defesa da democracia estadunidense em forma de homenagem ao jornalismo do país. Confira acima e abaixo.

Além de ser narrado por Tom Hanks (que por um acaso foi no ano retrasado o protagonista do filme “The Post”, que reconta a história da publicação dos arquivos do Pentágono pelo jornal nos anos 70) e contar com uma mensagem que claramente reforça o quão importante é a defesa do conhecimento para a liberdade norte-americana, “Democracy Dies in Darkness” também faz a homenagem e valoriza alguns dos milhares de jornalistas que foram torturados e mortos no cumprimento do dever ao longo do curso da História.

É uma reverência que não acontece à toa: de acordo com dados da Federação Internacional de Jornalistas, mais de 90 jornalistas morreram no ano passado em decorrência de atentados a bomba, tiroteios e mesmo assassinatos.

O comercial produzido pela Mark Woollen and Associates, porém, vem causando certo desconforto em uma porção do jornalismo estadunidense por conta do alto investimento feito num evento que não é exatamente o mais saudável do mundo. Em sua conta no Twitter, o jornalista Frederick Kunkle (que trabalha no próprio Washington Post) criticou o fato da publicação ter investido mais de 5 milhões em um anúncio de 30 segundos para o Super Bowl, especialmente por conta de todas as “economias” que a empresa vem fazendo nos últimos meses.

Também foi no Twitter que Jeff Bezos, CEO da Amazon e atual dono do The Post, agradeceu o trabalho de todos os jornalistas ao postar o comercial.

Compartilhe: