Sucesso na China, aplicativo do Partido Comunista foi desenvolvido pela Alibaba

Ligação da empresa de e-commerce com app de propaganda do governo é mais um sinal do aprofundamento de relações das companhias tecnológicas do país com a atual administração

por Pedro Strazza

Há alguns dias, foi revelado nas redes que o aplicativo mais baixado no território chinês era um tal de Xuexi Qiangguo, que curiosamente era de autoria do partido comunista nacional. Em português “Estude a Grande Nação”, o app pelo visto bombou no país ao permitir que o público acompanhe as novidades da administração do presidente Xi Jinping dentro de um sistema de pontos que “recompensa” quem se engaja mais na plataforma – o que pode ser um grande problema se considerar que o governo já há algum tempo vem procurando instaurar um sistema de “créditos sociais” para obter mair controle sobre a população.

Se a situação já soa problemática, ela promete ficar ainda pior, pois acaba de ser descoberto que quem desenvolveu a plataforma para o Partido Comunista foi ninguém mais que a Alibaba. De acordo com a Reuters, dois funcionários confirmaram à agência que o Xuexi Qiangguo foi concebido por um “time de projetos especiais” conhecido como Y Projects Business Unit e responsável por fazer estes trabalhos que não envolvam diretamente a empresa.

O envolvimento da Alibaba com o aplicativo faz sentido se considerar que o atual presidente, Jack Ma, também é membro do Partido Comunista Chinês, mas só intensifica o criticismo que as empresas de tecnologia do país vem recebendo em vista do aumento do número de colaborações que elas fazem com o governo. Além da firma de e-commerce, companhias como a Beijing ByteDance (responsável pela criação do Tik Tok) e a Tencent Holdings Ltd. (dona do WeChat) colaboraram para a ampliação dos serviços de mídia estatais na região e outras gigantes chinesas de tecnologia ajudaram a armar toda a estrutura da política de internet da atual administração.

Este aprofundamento de relações inclusive foi o que levou a fabricante de celulares chinesa Huawei ser banida ou ter sua produção reduzida consideravelmente em vários países, sob acusações de ter seus aparelhos usados para fins de espionagem.

Segundo as fontes da Reuters, a Alibaba serve atualmente de responsável pela manutenção do Xuexi Qiangguo e usa o software do DingTalk – seu app de mensagens – como base para a plataforma. Embora a Y Projects Business Unit não possua um sítio próprio, sites de emprego da região como o Zhipin anunciam vagas para o trabalho descrevendo-o como um projeto de nível estratégico.

Mas embora a empresa esteja inteiramente ligada ao projeto, ainda não está claro se e como a Alibaba tira lucro da operação do app, que desde o lançamento em janeiro já foi baixado mais de 43,7 milhões de vezes nos sistemas iOS e Android. A autoria do Xuexi Qiangguo também desconhecida no momento.

Compartilhe: