Canon usa teste de impressão para detectar sinais de daltonismo em crianças

Baseado no famoso Teste de Ishihara, o "ABC do Daltônico" quer ajudar a identificar o daltonismo de uma forma diferente, objetiva e mais leve

por Soraia Alves

A Canon está à frente de uma iniciativa que visa ajudar pais e professores a detectar sinais de daltonismo em crianças. Baseado no famoso Teste de Ishihara, exame de percepção de cores criado em 1917, o “ABC para Daltônicos” impresso pela Canon Mega Tank ajuda a identificar o daltonismo de uma forma diferente, objetiva e mais leve.

O teste foi redesenhado por três diretores de arte, que modernizaram as imagens com ícones mais divertidos e associados ao alfabeto, em vez dos tradicionais números do teste original.

Para facilitar a utilização, o “ABC para Daltônicos” foi incorporado ao teste de impressão Canon Mega Tank. O resultado possibilitou a criação de um livro abecedário com 26 letras, que além de ajudar a identificar o daltonismo, testa a impressão da máquina.

A Dentsu Brasil, responsável pela ação, também criou um filme para divulgar a iniciativa, com produção da Big Bonsai. Para ter acesso ao teste, basta baixar o app Creative Printing, e imprimi-lo com um clique.

Para a responsável pelo Marketing de Consumo da Canon do Brasil, Tânia Abe, essa é “uma oportunidade de ajudar a reconhecer precocemente o problema nas crianças, reconhecendo essa dificuldade de uma maneira lúdica. São trabalhos como esse que inspiram o nosso dia a dia aqui na Canon”, comenta.

De acordo com Maristela Stoianov, Especialista em Visão de Cores, na maioria das vezes, a pessoa passa por toda a infância e adolescência sem saber que tem daltonismo, descobrindo apenas na idade adulta: “O diagnóstico precoce ajuda muito na inclusão da criança na escola, em casa, etc. As pessoas afetadas pelo daltonismo são capazes de criar um mecanismo de adaptação como qualquer outra que tem uma deficiência. Geralmente, os daltônicos são surpreendentes”, esclarece.

O daltonismo, ou discromatopsia congênita, é um distúrbio visual caracterizado pela incapacidade de distinguir todas ou algumas cores. De origem genética, ele é mais comum em indivíduos no sexo masculino. No Brasil, o problema afeta mais de 8 milhões de pessoas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, no mundo todo, 5% da população é daltônica.

Compartilhe: