SXSW 2019: Para Howard Schultz, a solução está no centro

Ex-CEO do Starbucks defendeu candidatura à presidência dos Estados Unidos pelo viés de alguém de fora do atual sistema político nacional

por Juliana Wallauer

Howard Schultz está há 40 anos construindo uma das marcas mais amadas e respeitadas do mundo: a Starbucks. Em Austin, ele contou para o público que a decisão mais importante que ele tomou na empresa foi distribuir ações para todos os empregados, mesmo os que trabalhavam em meio período, na época em que eles ainda tinham capital fechado e estavam amargando prejuízos; ele acredita que o sucesso é melhor quando compartilhado.

Como empreendedor, ele acredita que as empresas precisam fazer mais do que acumular lucros para seus acionistas e cuidar da comunidade que servem, se preocupando com as pessoas. É por isso que a Starbucks tem um programa para pagar a faculdade dos seus empregados. Schultz defendeu que o segredo do sucesso da empresa está menos na qualidade do café e no design e mais na cultura que eles criaram, em como eles tratam as pessoas. 

Ele falou das origens humildes, que não herdou nada, cresceu em moradia pública. Se considera uma prova viva do sonho americano. “Eu fui bem sucedido na America, por causa do sistema da América. O sucesso deve ser celebrado e não vilanizado. Mas o sucesso vem com responsabilidade.” ele recontou ao público do SXSW.

Para proteger esses valores americanos e o sistema que permite que os sonhos virem realidade através de trabalho duro, Schultz nas últimas cinco semanas começou uma caminhada para entrar na política, questionando o sistema bipartidário que segundo ele está quebrado, disfuncional e precisando de um grande conserto. 

Ele justifica a escolha apontando o cenário de polarização e política revanchista e como sinais disso fala da dívida pública imoral que será herdada pelas próximas gerações, da imigração instrumentalizado como arma politica e da falta de liderança que fragilizou em dois anos décadas de relações com os aliados dos Estados Unidos. Os dois partidos estão tão afundados em ideologia, auto preservação e interesses que não tem capacidade de trabalhar nas respostas complexas e difíceis que o país precisa no momento.

É o mesmo discurso que escutamos no Brasil e que se ouve em todos os países da Europa: O sistema está corrupto, e precisa urgente de transformação. “Quem é jovem empreendedor olha pro país e sabe que algo não está funcionando” o executivo conclui.

Schultz defende que a disrupção precisa vir a partir de uma abordagem de centro.  Ele assume que estamos vivendo uma crise emergente de capitalismo e que os Estados Unidos precisam diminuir a desigualdade, mas acredita que a melhor resposta não é dizer que todas as empresas são ruins e que precisamos correr para o socialismo. O ex-CEO aposta em soluções sensatas, com empatia, mas que sejam reais não fantasias. Ele quer construir um governo com equilíbrio fiscal e olhar humanista.

“Não se iludam, não existe nada de graça na America. A proposta de saúde pra todos, e escola pra todos, não é de graça. Alguém vai ter que pagar. Os impostos vão aumentar. A dificuldade é de que estamos sentados em trilhões em débito que precisamos lidar.”

Howard Schultz

Schultz também diz acreditar que Obama estava certo em suas propostas: “Ele deu a milhões de pessoas os seguros de saúde que eram necessários. É consistente com a humanidade. Todo americano deve ter acesso a saúde. Mas o custo da saúde para famílias dobrou. E isso não é justo. Por que acontece? Porque empresas de saúde e farmacêuticas não estão sendo justas. Os americanos estão pagando mais caro pelos remédios do que europeus. Por quê? Porque quem faz as leis é cúmplice das farmacêuticas, são raposas cuidando do galinheiro. Eles só estão preocupados em se reeleger e para isso precisam do dinheiro dessas empresas.” afirmou no evento.

Ele quer ser uma opção viável para quem não votaria em um socialista, mas se sente ofendido por Trump, por tudo que ele destrói e ataca – pelo que ele desrespeita. O executivo ainda jogou para a torcida e levou o público do SXSW ao delírio ao responder a pergunta “Como você reage a quem diz que você tem zero chances?” com outro questionamento: “Quantos empreendedores já ouviram que a sua ideia nunca daria certo? Nós vivemos na America onde qualquer sonho pode acontecer. Eu não vou deixar os cínicos me dizerem que o que eu acredito que deve acontecer na América não pode acontecer. Quero ter uma chance de representar milhões de pessoas que não tem voz.”.

Ele escorrega, porém, quando perguntado sobre o que é socialismo. “Quer saber o que é socialismo? Vejam a Venezuela”.

Howard Schultz faz parte de uma tendência global de buscar respostas fora da política, para os desafios coletivos que enfrentamos. Mas pra mim, o que é mais interessante é que ele representa uma tentativa de responder à tendência da sociedade do espetáculo de dar cada vez mais atenção e poder para as opiniões e soluções extremas.

> Confira a cobertura completa do B9 na SXSW 2019

Compartilhe: