Google anuncia novas integrações de código aberto para concorrer com AWS

Empresa quer fornecer aos clientes uma experiência de usuário perfeita, além da capacidade de aproveitar as tecnologias de código aberto na nuvem do Google

por Soraia Alves

O Google anunciou hoje que fez várias parcerias com empresas de análise e gerenciamento de dados de código aberto a fim de integrar seus produtos ao Google Cloud Platform e oferecê-los como serviços gerenciados e operados por seus parceiros.

Os parceiros em questão são as empresas Confluent, DataStax, Elastic, InfluxData, MongoDB, Neo4j e Redis Labs.

Segundo a empresa, ela quer fornecer aos clientes uma experiência de usuário perfeita, além da capacidade de aproveitar facilmente as tecnologias de código aberto na nuvem do Google.

Mas, fica evidente que as movimentações do Google também são pensadas para enfrentar a plataforma de computação em nuvem da Amazon, a AWS, conhecida por escolher alguns dos melhores projetos de código aberto e, em seguida, empacotá-los com sua própria marca, muitas vezes sem retornar ao projeto original. Há sinais de que isso está mudando, mas várias empresas recentemente mudaram suas licenças de código aberto para impedir explicitamente que isso aconteça.

“Coincidentemente”, essas empresas de tecnologias de código aberto incluem as novas parcerias do Google – Confluent, Elastic, MongoDB, Neo4j e Redis Labs.

Segundo Manvinder Singh, diretor de parcerias de infraestrutura do Google Cloud: “Dado o DNA do Google e a crença que temos no modelo de código aberto, que é demonstrado por projetos como Kubernetes, TensorFlow, Go e assim por diante, acreditamos que o caminho certo para resolvê-lo é trabalhando em conjunto com empresas que investiram seus recursos no desenvolvimento dessas tecnologias de código aberto”.

Resumindo, enquanto a AWS pega esses projetos e os cria, o Google decidiu fazer parceria com essas empresas. Embora o Google e seus parceiros tenham se recusado a comentar sobre os acordos financeiros dessas negociações, provavelmente elas incluem algum grau de participação nos lucros aqui.

Quanto à funcionalidade real, o princípio básico é que o Google integrará profundamente esses serviços ao Cloud Console. Esses serviços serão gerenciados e o Google Cloud cuidará do faturamento, que serão contabilizados para os compromissos de gastos do Google Cloud de um usuário.

O suporte também será executado pelo Google, para que os usuários possam usar um único serviço para gerenciar e registrar tickets em todos esses serviços.

Compartilhe: