Facebook enfim vai parar de te pedir para dar parabéns aos mortos da rede

Plataforma também ganhará novas funções que vão ajudar as pessoas a cuidar do legado virtual daqueles que se foram

por Pedro Strazza

Parabéns de Facebook já virou algo tão insuportável que virou tema de mesa do Braincast, mas a modalidade “parabéns ao morto” é uma que de fato assusta de continuar acontecendo. Você está lá, tranquilo surfando na TL, quando vê a conta de um antigo amigo que faleceu há uns dois ou três anos ser inundada de parabéns protocolares – junto dos mórbidos “muita saúde!”.

Demorou um pouco, mas o Facebook enfim resolveu tomar medidas para impedir que esta desgraceira virtual continue a acometer diariamente milhares de contas póstumas. No blog oficial da rede social, a COO Sheryl Sandberg divulgou uma série de medidas relacionadas a perfis de pessoas falecidas que inclui entre outros a eliminação da infame notificação de aniversário para estas contas.

“Em adição à criação de ferramentas de apoio, nós também esperamos minimizar experiências que possam ser dolorosas.” escreve a executiva na publicação; “Se uma conta ainda não foi memorializada, nós vamos usar inteligência artificial para ajudar a mantê-la afastada de lugares que podem causar estresse, como recomendar que ela seja convidada a eventos ou enviar uma lembrança de aniversário a seus amigos”.

(Pausa apenas para comentar: o quão terrível é imaginar uma pessoa sendo convidada para eventos do Facebook mesmo depois de morta? É a versão digital e aterrorizante de “Um Morto Muito Louco”!)

Além do uso de IA parar tirar perfis da circulação de certos lugares indesejáveis, Sandberg confirmou a criação de uma nova página de memorial na plataforma, onde os usuários poderão compartilhar publicações (como fotos e escritos) da pessoa falecida sem interferir no seu perfil como deixado. Além disso, os “legacy contacts” (as pessoas que viram o “contato” da página do falecido) ganharão ferramentas de moderação nestas abas, incluindo a permissão de quem pode escrever no perfil do morto.

Pelo visto os mortos, enfim, também podem descansar em paz no mundo digital.

Compartilhe: