Tinder supera Netflix e se torna o app não jogável mais rentável do primeiro trimestre de 2019

É a primeira vez que o serviço de streaming não lidera o ranking desde que assumiu a posição no fim de 2016

por Pedro Strazza

A Netflix é desde o último trimestre de 2016 a líder absoluta no ranking de aplicativos sem jogos mais rentáveis do mercado, graças a manutenção e expansão de sua base de assinantes na década. Sua supremacia, porém, foi encerrada pelo Tinder no primeiro quarto de 2019, segundo um novo relatório da empresa de pesquisa Sensor Tower.

Nos cálculos da Sensor com a parceira App Annie, a Netflix nestes primeiros três meses do ano conseguiu arrecadar cerca de 216,3 milhões de dólares – o que representa uma queda de 15% na renda em relação ao último relatório – enquanto o aplicativo de relacionamentos alcançou a marca de 260,7 milhões com uma impressionante taxa de crescimento de 42%. Fecham o top 5 a Tencent Video, o iQIYI e o YouTube, formando um topo consolidado por empresas de streaming, música e vídeo.

A queda da gigante do streaming já era esperada dado o histórico recente com a Apple, que entre outras coisas fez com que a Netflix descontinuasse a função que permitia aos usuários de produtos da firma de tecnologia acessar o catálogo com sua conta iOS – uma obstrução também empregada para o Android que força as pessoas a ter que fazer o login pelo site antes de usar o app. A medida fez com que a Apple perdesse alguns milhões, claro, mas também atingiu a própria Netflix, que segundo a Sensor Tower perdeu em torno de 256 milhões de dólares de renda vinda da plataforma da agora rival.

Confira o ranqueamento completo da pesquisa na tabela abaixo. Os números incluem dados das plataformas iOS e Google Play.

Em relação ao ranqueamento de mais baixados, além do prevalecimento natural de redes sociais a única surpresa sem dúvida é o crescimento do TikTok, que neste começo de ano se tornou o terceiro app mais baixado nos celulares. Depois de bater o primeiro bilhão de downloads no fim de fevereiro, a empresa fechou o trimestre com 188 milhões de novos usuários e viu um bom crescimento nos números de renda, vendo uma taxa de crescimento de 222% em relação ao primeiro quarto de 2018.

Ainda que não tenha entrado desta vez, é esperado agora que a rede social musical chegue ao top 10 de renda entre apps no relatório do meio do ano, alimentado principalmente pelo mercado indiano onde já virou febre.

Compartilhe: