Apesar de protestos, consultoria diz que tweet de Trump gerou milhões em mídia espontânea para “Game of Thrones”

Enquanto o presidente dos Estados Unidos foi acusado (de novo) de roubo de propriedade intelectual, a HBO ganhou uma publicidade equivalente a cinco anúncios do Super Bowl

por Pedro Strazza

A próxima eleição presidencial dos Estados Unidos é só em 2020, mas pelo menos no Twitter Donald Trump vem adiantando os esforços de sua campanha de reeleição para tentar mostrar que merece mais uma vez a confiança dos eleitores. Questões de “foco” do atual presidente estadunidense à parte, a publicidade de Trump no momento só tem gerado atrito com os grandes estúdios, em especial com a WarnerMedia: as duas peças lançadas pelo chefe de Estado em sua conta no microblog roubavam na cara dura fontes e formatos de títulos consagrados da empresa como “O Cavaleiro das Trevas” e “Game of Thrones”.

Este último, no caso, foi bastante descarado. Além de tomar emprestado a tipografia do logo da série, Trump ainda resolveu repetir a palavra “Game” na imagem publicada para mandar um “game over” aos “haters” e “democratas esquerdistas radicais” que se opõem a ele – confira a imagem abaixo:

A HBO não demorou muito a postar (com razão) uma declaração oficial pedindo que suas produções não sejam redirecionadas para a política (ou nas palavras da própria empresa à imprensa, “nós ainda preferimos que a nossa propriedade intelectual não seja usada para planos políticos”), mas o curioso é que o tweet de Trump acabou gerando um merchan indireto dos mais lucrativos para a emissora. Uma publicidade de 25,2 milhões de dólares, para ser mais exato: de acordo com a consultoria de marca Apex Marketing, foi isso que a série ganhou de engajamento e repercussão à partir da publicação presidencial e em mídias como a TV, o rádio e a internet.

Em outras palavras, o infame tweet foi uma publicidade melhor para “Game of Thrones” que para Trump, que saiu do caso de novo com a imagem de ladrão de propriedades intelectuais – aquele outro post com “O Cavaleiro das Trevas” do Nolan foi removido do ar em todos as redes após a Warner sinalizar a violação de uso de imagem pelos meios jurídicos.

Para se ter uma ideia da amplitude do lastro deixado pela publicação, o volume de mídia espontânea gerada pelo tweet desde seu lançamento equivaleu ao impacto de cinco anúncios veiculados durante o Super Bowl, mundialmente conhecido como espaço de mídia mais caro do planeta. Só no Twitter, foram 4 bilhões de views nas primeiras 24 horas.

O jogo dos tronos publicitários pode ser dos mais irônicos.

Compartilhe: