Receita da Coca-Cola aumenta enquanto britânicos estocam comida com medo do Brexit

Empresa registrou um aumento de 5% na receita anual, e observa que esse crescimento foi principalmente devido à "construção de estoques de refrigerantes" em torno da incerteza sobre o Brexit

por Soraia Alves

A Coca-Cola viu sua receita aumentar enquanto os britânicos estocavam comida antes da saída do Reino Unido da União Europeia, mais precisamente durante os primeiros três meses de 2019.

A empresa registrou um aumento de 5% na receita anual, chegando a US$ 8 bilhões, e a própria Coca-Cola observou que esse crescimento foi principalmente devido à “construção de estoques de refrigerantes” em torno da incerteza sobre o Brexit.

Um porta-voz da Coca-Cola explicou que os estocadores europeus “aumentaram suas compras de produtos da The Coca-Cola Company”, aumentando a receita da empresa.

O presidente-executivo da Coca-Cola, James Quincey, acrescentou que o crescimento também foi impulsionado pelo aumento nas vendas de refrigerantes “de forma comum”. Esse segmento cresceu 1%, com “forte desempenho global da marca Coca-Cola por meio do crescimento da Coca-Cola Original e do crescimento contínuo da Coca-Cola Sem Açúcar”.

Quincey também garante que a empresa está vendo uma oportunidade para inovar nos produtos que “estão no limite das categoria”, que seria o caso do café, por exemplo. Por isso mesmo, a marca também anunciou planos para lançar produtos prontos para a rede de cafeterias Costa, tradicional no Reino Unido desde 1971.

Há também planos para lançar uma variante de café da Coca-Cola depois de um período de testes na Ásia que tem como alvo a “crise da tarde”. A Coca-Cola pretende lançar o produto em 25 mercados, mas não especificou quais países.

Compartilhe: