Facebook proíbe interferência externa em propagandas políticas
cover-facebook4

Facebook proíbe interferência externa em propagandas políticas

Objetivo é garantir a segurança das próximas eleições, incluindo as vindouras na União Europeia

por Matheus Fiore

Para proteger a “integridade das eleições”, o Facebook informou que impedirá que propagandas políticas sejam veiculadas em diferentes países. A partir de agora, só será possível impulsionar uma publicação com conteúdo político se você o fizer de dentro do país onde esse político ou partido atue. A medida vale tanto para o Facebook, quanto para o Instagram, como reportou o Mashable.

Agora, todos os que divulgam propagandas políticas na União Europeia precisarão ter autorização do país onde esses anúncios serão exibidos. Richard Allan, vice-presidente de soluções de políticas globais do Facebook, afirmou que para ganhar autorização, os grupos políticos europeus precisarão apresentar documentos que comprovem suas identidades.

“Nós pediremos que eles nos mandem uma documentação e usaremos uma análise técnica para confirmar suas identidades e localizações” afirmou Allan; “Nós reconhecemos que algumas pessoas ainda tentarão burlar o sistema, mas estamos confiantes de que essa mudança será uma verdadeira barreira para qualquer um que esteja planejando usar nosso sistema de anúncios para interferir em eleições de fora de seu país”. Vale lembrar que, até hoje, discute-se uma possível interferência russa nas eleições americanas de 2016, algo que pôs fogo no debate sobre a interferência política pela internet.

Entre as novidades menores que virão juntamente à limitação, o Facebook também inseriu uma exigência de que as propagandas exibam com clareza a informação de que são propagandas. O objetivo é reduzir ao máximo não só a interferência externa, mas a manipulação por propagandas que se disfarçam como conteúdo isento.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link