Campanha usa IA para ligar comentários de ódio das redes com publicidade preconceituosa do passado

“Post Racism” faz a ligação óbvia entre os movimentos de ódio de hoje com seus antepassados

por Pedro Strazza

Além da ressurgência de movimentos de extrema direita, a Europa nos últimos anos também tem sido palco de diversas manifestações de ódio e preconceito nas redes sociais, onde voltaram a se acumular comentários e publicações racistas e antissemitas. Enquanto a União Europeia busca viabilizar formas legais de interromper este fluxo, a Licra – a Liga Internacional Contra o Racismo e o Antissemitismo, uma associação internacional fundada na França que como bem diz o título combate as diversas formas de preconceito – decidiu conceber uma campanha que ligue os ataques virtuais de hoje às suas verdadeiras raízes do ódio.

Para isso, a instituição criou em parceria com a Publicis Conseil uma inteligência artificial cujo banco de dados é composto inteiro de publicidades de meados do século passado que divulgavam a plenos pulmões todo tipo de preconceito contra minorias – incluindo populações negras, judaicas e asiáticas -, e a partir daí estruturou seu software de forma a buscar publicações no Twitter que emitissem o mesmo comportamento e vocabulário usado no passado. É desta combinação que surge a ação “Post Racism”, cujo mote é exatamente acenar para a gravidade dos discursos que estão sendo vomitados sem nenhuma discrição na rede hoje.

Para compor o banco de dados, a Licra e a Publicis contaram com a participação de diversas entidades como o Museu de Arte e História Judaica, a Biblioteca Nacional da França e os Arquivos Nacionais franceses, que se dispõem a preservar o legado nefasto destes movimentos para que seus atos hediondos não sejam esquecidos. O vídeo acima dá mais detalhes sobre o processo criativo por trás da ação.

Além de conectar os tweets com suas “influências”, a IA da campanha também produz uma resposta automática que chama a atenção do usuário para o grau de virulência de seus atos e o convida a assinar uma petição pela mudança da lei de forma a condenar o racismo virtual. O “Post Racism” conta ainda com uma seleção de pôsteres que combinam as artes publicitárias racistas com os respectivos tweets atuais, que estão sendo estampados nas ruas de Paris para chamar atenção para a petição – confira alguns abaixo:

Os interessados em assinar o documento podem acessá-lo aqui.

Compartilhe: