Processo contra Uber reúne mais de 6 mil pessoas na Austrália

Motoristas afirmam ter vidas destruídas por incentivo à ilegalidade promovido pela empresa

por Matheus Fiore

Conflitos judiciais entre a Uber e funcionários ou ex-funcionários não são novidade para ninguém. Em março deste ano, a empresa fechou um acordo de 20 milhões de dólares com um grupo de motoristas que processou a companhia.

Entretanto, desta vez um novo processo está alcançando uma escala maior do que o histórico do serviço de aplicativo de transportes mostra. Um processo movido na Austrália reúne 6 mil pessoas que em caso de vitória judicial podem chegar a receber centenas de milhares de dólares da empresa.

A Uber afirma que os ex-funcionários a culpam por destruir suas vidas. A acusação partiria do fato de a Uber ter operado ilegalmente e incentivado motoristas a fazerem o mesmo. A empresa teria intencionalmente penetrado no mercado Australiano de forma ilegal por saber que há uma regulamentação menos rigorosa, e por isso ignorou os requisitos legais do país para que começasse suas operações.

Para realizar tal procedimento, a Uber teria inclusive bancado as multas de alguns de seus motoristas, caso estes fossem punidos por dirigir irregularmente. A Uber, por sua vez, nega todas as acusações.

Segundo o Engadget, o processo chega justamente no momento em que a Uber está prestes a entrar na bolsa de valores, com uma avaliação que chega a 120 bilhões de dólares. É muito provável, portanto, que processos como esse manchem a imagem da empresa ao ponto de diminuir consideravelmente seu valor de mercado.

Compartilhe: