Tim Cook confirma que Apple compra uma empresa a cada duas ou três semanas

Companhia teria adquirido entre 20 e 25 pequenos negócios só nos últimos seis meses, buscando “talento e propriedades intelectuais” que agreguem ao seu planejamento

por Pedro Strazza

Em um mundo onde fusões e compras de multinacionais se tornam item cada vez mais frequente dos noticiários, é difícil acompanhar os pequenos negócios das grandes empresas – mesmo que estas aconteçam num ritmo um tanto assustador. Em entrevista à CNBC, o atual CEO da Apple Tim Cook confirmou por exemplo que a sua empresa vem adquirindo um negócio a cada duas ou três semanas, totalizando só nos últimos seis meses entre 20 e 25 empresas adicionadas ao seu “catálogo”.

“Se nós temos dinheiro sobrando, nós procuramos ver o que mais podemos fazer. Nós adquirimos tudo aquilo que precisamos e se encaixa e tem um valor estratégico a nosso planejamento.” afirmou o executivo na entrevista sobre a prática, o qual ele também diz que o que a Apple procura hoje é “talento e propriedades intelectuais” em pequenos empresas.

Sobre a questão do “dinheiro sobrando”, isso de fato não faltou pra empresa de tecnologia neste último semestre, dado que ela reportou um montante de 225,4 bilhões de dólares no seu último relatório fiscal. Além de sair às compras, Cook e a Apple também vem se mantendo ativos nos propósitos de devolver seus ganhos para a economia estadunidense, jurando no começo de 2018 contribuir com 350 bilhões de dólares para o país nos próximos cinco anos.

O mais curioso nisso tudo, porém, é mesmo o fato das aquisições da empresa serem no geral pequenas e muito localizadas. Das grandes compras, a maior até hoje foi a da Beats em 2014, que foi firmada na casa dos “meros” 3 bilhões de dólares para transformar o negócio na atual Apple Music – o que, levando em conta outras transações recentes do mercado, é proporcionalmente mínimo.

Compartilhe: