Apesar de destacar compromisso com a privacidade, iPhone “vaza” informações pessoais

Segundo o jornal Washington Post, vários aplicativos iOS de terceiros estão usando um recurso para enviar informações pessoais dos usuários para empresas de rastreamento

por Soraia Alves

Há algum tempo, a Apple tem “se gabado” da privacidade que seus dispositivos oferecem, principalmente depois que o tema virou assunto constante entre seus concorrentes, quase sempre envolvidos com casos de vazamento de dados pessoais dos clientes. Porém, segundo o jornal Washington Post, vários aplicativos iOS de terceiros estão usando o chamado Background App Refresh para enviar regularmente informações pessoais dos usuários para empresas de rastreamento.

O recurso Background App Fresh permite que os aplicativos do iPhone sejam executados periodicamente em segundo plano, podendo atualizar seu conteúdo.

Os apps de terceiros usam rastreadores para reunir diversos tipos de análise. Mas, a frequência com que esses aplicativos enviam dados para as empresas de rastreamento é considerado alarmante pelos especialistas.

A investigação do Washington Post usou o app Privacy Pro para descobrir que os aplicativos enviam para as empresas de rastreamento informações pessoais como email, endereço IP, número de telefone, localização exata, entre outros dados.

Entre os apps considerados “ofensivos” por compartilharem essas informações estão Spotify, Microsoft OneDrive, Yelp, Mint, Nike, Doordash, The Weather Channel e, veja só, o próprio aplicativo iOS do The Washington Post. Ao todo, o jornal reportou mais de 5.400 rastreadores durante o teste de uma semana.

Tecnicamente, os rastreadores de aplicativos não são um problema. Alguns, inclusive, são usados ​​para diagnosticar o comportamento do app e, consequentemente, melhorar o desempenho do mesmo. A questão é que as empresas estão, vamos assim dizer, abusando do serviço.

Usar informações de rastreamento para adaptar anúncios é padrão, mas se a maioria das pessoas não sabe sobre isso, temos um problema a ser considerado. Já em relação à Apple, sua publicidade centrada na questão da privacidade acaba não condizendo com o factual, uma vez que há sim informações pessoas dos usuários do iPhone sendo repassadas, mesmo que de “forma legal”.

A empresa pode realmente dizer que, para ela, a privacidade de seus clientes importa, mas quanto ao slogan “O que acontece no seu iPhone permanece no seu iPhone”, bem, parece que não é bem assim.

Compartilhe: