No Reino Unido, Amazon quer ajudar comércios locais com lojas pop-up

Projeto piloto da empresa leva para as ruas lojas de pequenas empresas locais que vendem apenas pela internet

por Soraia Alves

Parece um pouco contraditório que uma empresa cujo foco seja a venda online queira colaborar para o aumento do comércio local no formato tradicional, mas é o que a Amazon quer fazer através de um projeto piloto destinado a promover lojas de comerciantes locais em cidades do Reino Unido.

O programa vai durar um ano e, segundo o comunicado da empresa, é dedicado à exploração de “um novo modelo para ajudar as marcas online crescentes a aumentar sua presença nas ruas”. Inicialmente, ele levará mais de 100 pequenas empresas que hoje possuem e-commerce para as ruas online pela primeira vez através de lojas pop-up: “Marcas promissoras construíram negócios online de sucesso e agora querem explorar o varejo físico pela primeira vez”, diz a Amazon.

Essas lojas serão abertas 10 de cada vez, por um período entre 6 e 8 semanas. E a primeira tem inauguração marcada para hoje, 03/06, no St Mary’s Gate, centro de Manchester. Outra lojas aparecerão nas ruas do País de Gales, na Escócia, em Midlands, em Yorkshire e em todo o Sudeste do Reino Unido.

O projeto é financiado pela Amazon em parceria com a organização Enterprise Nation, uma rede local de suporte às pequenas empresas. A Direct Line for Business e a Square também aparecem no comunicado como parceiras.

No ano passado, o governo do Reino Unido pediu propostas para revigorar o comércio das ruas, anunciando um fundo de 675 milhões de libras para ajudar a modernizar as ruas.

Também em 2018, o chanceler do Reino Unido, David Lidington, anunciou um imposto sobre serviços digitais que será aplicado a gigantes da tecnologia que operam mecanismos de busca, plataformas de mídia social e mercados online, e que entra em vigor a partir de abril de 2020. O imposto cobrará uma taxa de 2% sobre as receitas de gigantes da tecnologia que podem ser atribuídas aos usuários do Reino Unido.

As empresas participantes do projeto da Amazon farão suas vendas diretamente aos clientes, com todos os pagamentos feitos também de forma direta, já que a Amazon confirmou que não vai receber nenhuma comissão de vendas feitas nas lojas pop-up.

Compartilhe: