Após fim da parceria com a Petrobrás, Sessão Vitrine anuncia novo formato para edição 2019

Dez filmes compõem a edição deste ano do projeto, que fará lançamentos simultâneos nos cinemas e no streaming

por Pedro Strazza

Desde que a Petrobrás anunciou o encerramento de seus patrocínios para projetos culturais no começo do ano, a Sessão Vitrine andava num limbo sem perspectivas de futuro. O projeto da Vitrine Filmes de distribuição e maior acesso ao cinema brasileiro no país tinha perdido seu principal apoiador e, sem o financiamento deste, não contava com os meios para continuar funcionando. Mas isso aparentemente foi contornado.

Na manhã de hoje (3), a Vitrine Filmes anunciou a edição 2019 do projeto, que acontecerá num formato diferente dos anos anteriores. Além de lançar os filmes em cinemas de 20 cidades com ingressos ao preço de R$15 e R$7,50, a Sessão Vitrine também fará a estreia simultânea de suas produções no streaming em parceria com a Sofá Digital. Serão 10 longa-metragens e uma sessão de curtas que chegarão ao mesmo tempo nas telonas e nas plataformas da Apple TV, Google Play, YouTube Premium, Now e Vivo Play.

“Este é um momento muito interessante no cinema nacional. Primeiro, pela quantidade de filmes produzidos no Brasil, e segundo, pela qualidade dos filmes que estão sendo reconhecidos mundialmente.” explica a diretora geral da Vitrine Filmes, Silvia Cruz, no anúncio da nova edição do projeto; “Por outro lado, vivemos momentos de incerteza e de questionamento da produção cultural como um todo. São momentos como este que proporcionam oportunidades de refletirmos, repensarmos e nos reinventarmos.”.

Outra novidade é a parceria da Vitrine com o Mubi e o Videocamp para a disponibilização de filmes que participaram do projeto em edições anteriores. A distribuidora, porém, não divulgou maiores detalhes sobre como se dará a parceria com as plataformas de streaming e programação de sessões.

A Sessão Vitrine 2019 começa já no próximo dia 11 de julho com a estreia de “Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar”, novo documentário do diretor de “Joaquim” e “Cinema, Aspirinas e Urubus”, Marcelo Gomes. A Vitrine Filmes espera com o selo lançar um filme ao mês, num esquema de divulgação que inclui sessões seguidas de debates, programas de fidelidade e uma parceria com o site Filmmelier.

Além do documentário de Gomes, integram a “turma” de 2019 da Sessão Vitrine os filmes “Vermelho Sol”, de Benjamín Naishtat; “Querência”, de Helvécio Marins Jr.; “Os Jovens Baumann”, de Bruna Carvalho Almeida; “Nona – Se Me Molham, Eu os Queimo”, de Camila José Donoso; “A Noite Amarela”, de Ramon Porto Mota; “A Rosa Azul de Novalis”, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro; “Chão”, de Camila Freitas; “Diz a Ela que Me Viu Chorar”, de Maíra Bühler; e “Ontem Havia Coisas Estranhas no Céu”, de Bruno Risas.

Compartilhe: