Depois de críticas de Bolsonaro, Ancine autoriza repasse de 530 mil reais para documentário sobre o presidente

Longa sobre "revolução conservadora" é comandado pelo mesmo diretor de documentário sobre Olavo de Carvalho

por Matheus Fiore

A relação entre a Ancine (Agência Nacional de Cinema) e o governo do presidente Jair Bolsonaro é conturbada desde que o político do PSL tomou posse. Em março, a primeira notícia ruim: sob ordens do TCU, a agência responsável pelo cinema nacional teve que interromper repasses para o setor audiovisual.

Na última semana, a Ancine voltou a ser atacada pelo atual presidente, que afirmou estar cogitando encerrar o órgão por considerar alguns de seus projetos absurdos. Bolsonaro utilizou como exemplo o filme “Bruna Surfistinha”, cinebiografia da famosa ex-prostituta, para dizer que a agência estaria autorizando repasses para a produção de filmes pornô. Vale ressaltar, porém, que o presidente ignorou o fato de “Bruna Surfistinha” ter levado mais de 2 milhões de pessoas ao cinema, gerado 500 empregos e movimentado milhões na economia e no pagamento de impostos.

Nos últimos dias, porém, algo um tanto inesperado aconteceu. De acordo com o Bahia Notícias, a Ancine, que havia cortado repasses e que quase teve suas atividades encerradas pelo presidente, autorizou a captação de 530 mil reais para a realização de um documentário sobre Jair Bolsonaro.

“Nem Tudo se Desfaz” é descrito pela própria divulgação como um “um documentário ensaístico sobre os desdobramentos culturais e políticos das Jornadas de Junho de 2013” e terá como recorte o início da “revolução conservadora” que, de acordo com a produção, foram diretamente responsáveis pela eleição de Bolsonaro – mesmo esta “revolução” tendo sido iniciada por demandas do Movimento Passe Livre e recebido apoio de diversos setores políticos.

Além de apoiada publicamente pela administração federal (incluindo aí divulgação nas redes de Eduardo Bolsonaro), o filme é comandado por Josias Teófilo, que lançou em 2017 o documentário “O Jardim das Aflições” que tinha como foco a vida de Olavo de Carvalho, jornalista e astrólogo que hoje atua como guru do presidente.

Compartilhe: