Cruise adia lançamento de serviço de táxis autônomos em San Francisco

Ao invés de colocar serviço na rua até o fim do ano, empresa passará resto de 2019 realizando testes adicionais com a frota para garantir “o melhor sistema possível” à cidade

por Pedro Strazza

A GM Cruise anunciou hoje (24) em uma publicação no seu perfil no Medium que está descartando seu plano inicial de lançar uma frota de táxis autônomos em São Francisco até o fim de 2019. Escrito pelo CEO Dan Ammann, a companhia possuída pela General Motors descreve na publicação que o adiamento se dá por conta de mais testes envolvendo as milhas percorridas pelos veículos, que serão realizados pelo resto deste ano afim de aperfeiçoar o sistema que a empresa busca implementar na cidade.

“Por mais que a Cruise já esteja registrando o maior número de milhas em um ambiente complexo, ver nossos carros percorrendo muito mais milhas na estrada acelerará nossos índices de aprendizado e validação de segurança.” escreve o CEO na publicação; “Isto também nos renderá aprendizados operacionais cruciais para rodar uma frota de escala ainda maior e um serviço de maiores proporções, um que nós operamos atualmente para nossos funcionários”.

Embora Ammann não tenha divulgado uma nova previsão de lançamento para o serviço, a Cruise não parece estar com tanta pressa para colocar na rua esta frota de táxis autônomos e sim disposta a criar o melhor sistema possível, um que sirva aos anseios de mobilidade de grandes centros. No texto, inclusive, Ammann chega a defender a escolha de San Francisco como cidade inaugural da frota por conta de seus “ambientes urbanos mais complexos que são 40 vezes mais desafiadores que um simples cenário suburbano”, uma condição que permitiria a empresa expandir o serviço com maior velocidade e segurança à partir do momento que este funcionasse.

Além da confirmação do adiamento, o post também mostra que a Cruise já tem consciência do impacto que um serviço do tipo pode ter na comunidade em que se insere, demonstrando já ter planos de como implementar de forma orgânica os carros no cotidiano dos habitantes de San Francisco. O CEO confirma que a empresa “aumentará sua presença na comunidade” nos próximos meses, apresentando maiores informações sobre os veículos ao público da cidade em todo tipo de evento e localidade.

A companhia também divulgou estar criando as maiores estações de recarregamento do país para ajudar os carros a não prejudicarem as dinâmicas de trânsito da região. Os carros serão todos elétricos para reduzir a poluição de San Francisco e todas as outras cidades onde frotas da Cruise forem implementadas.

Esta calma aparente da Cruise se deve em parte à estrutura atual que ela tem depois de ser adquirida pela GM em 2016. Com 1500 funcionários e um fundo de investimento de 7,25 bilhões que é fruto de uma parceria da GM com a Softbank Vision Fund e a Honda, a empresa atualmente é avaliada em 19 bilhões de dólares e tem toda uma rede de segurança disponível para desenvolver seu produto com o tempo que lhe é necessário.

Compartilhe: