Cientistas criaram vodca artesanal com ingredientes de Chernobyl

Responsáveis pela "obra" garantem que é seguro consumir a bebida

por Matheus Fiore

Em parceria com especialistas ucranianos, cientistas da Universidade de Portsmouth criaram uma vodca artesanal um tanto peculiar. Com o nome Atomik, a bebida é feita com grãos e água retirados de uma área de Chernobyl.

Com o feito, esses cientistas se tornam pioneiros na criação de um produto cujos componentes são oriundos de uma região abandonada por contaminação nuclear. Chernobyl, vale lembrar, é o lar do maior acidente nuclear da história, que inclusive foi retratado recentemente na minissérie “Chernobyl”, da HBO.

A equipe fabricou a vodca após um projeto de pesquisa que se estendeu por três anos. “30 anos depois do acidente, descobrimos que na área as colheitas estavam ligeiramente acima do muito cauteloso limite ucraniano para o consumo. Então, tecnicamente, você não pode comer essas colheitas. Mas nós pensamos: Bem, nós temos alguns grãos, então por que não tentamos fazer uma vodca?” disse Jim Smith, o líder do projeto em entrevista para a CNN.

Os especialistas diluíram e destilaram álcool com água mineral de um aquífero da cidade de Chernobyl, que fica 10km ao sul do reator. Os cientistas afirmam que os compostos estão livres de qualquer contaminação. Apesar de haver alguma radioatividade nos grãos utilizados, o processo de destilação diminuiu essas impurezas a um nível que fica indetectável e inofensivo para o corpo humano.

A equipe defende que o processo de destilação remove boa parte das impurezas, o que garante a segurança de quem consumir a vodca, que foi fermentada e destilada. Eles ainda afirmam que fizeram testes para identificar radioatividade, e encontraram apenas carbono natural 14, que também está presente em bebidas e alimentos comercializados comumente por aí.

Compartilhe: