12184635678275

Canadá, Holanda, Nova Zelândia e Austrália serão os primeiros países fora dos EUA a receber o Disney Plus

Companhia também lançou as contas oficiais do serviço nas redes sociais

por Pedro Strazza

A manhã desta segunda-feira (19) começou atarefada para a Disney no que consta assuntos relacionados a seu vindouro serviço de streaming, o Disney Plus. Há pouco menos de três meses de lançar o novo produto no mercado (e, por consequência, colocar em movimento uma nova corrida no meio) e em meio aos preparativos da D23, a companhia hoje abriu os trabalhos da plataforma em redes sociais como o Twitter ou o Instagram, começando com o mesmo simpático vídeo de divulgação abaixo:

A notícia mais importante do dia, porém, é que a empresa confirmou ao público que Canadá, Holanda, Austrália e Nova Zelândia serão os primeiros países fora dos EUA que verão disponibilizados o streaming em seus territórios – seguindo assim o cronograma geral divulgado pela companhia em abril. Enquanto os canadenses e holandeses receberão o serviço no mesmo dia 12 de novembro em que o Plus chega aos Estados Unidos, os australianos e neozelandeses verão a plataforma ancorar em suas respectivas terras na semana seguinte, dia 19 de novembro.

O ajuste de preços varia de acordo com as taxas de câmbio de cada país, mas a princípio os australianos terão os planos de assinatura do Plus mais baratos do mundo, na conversão do dólar australiano pro dólar pagando $6,09 por mês ao invés dos $6,99 estipulados para os EUA. Já os holandeses pagam o valor mais caro, pagando o equivalente a $7,75 por mês na tradução do euro pro dólar.

Ainda de acordo com a Disney, o serviço deve chegar a mais países na Europa e na Ásia até o fim do ano, mas a expectativa real é de que o Disney Plus esteja disponível na maior parte do globo até seu aniversário de dois anos de vida – incluindo o Brasil, que deve receber a plataforma no segundo semestre de 2020.

Compartilhe: