Netflix confirma lançamento de “O Irlandês” nos cinemas dos EUA e Reino Unido, um mês antes do streaming

Empresa não conseguiu fechar negócio com principais redes exibidoras dos Estados Unidos, mas vai promover um lançamento limitado nas telonas antes da estreia oficial na plataforma em 27 de novembro

por Pedro Strazza

Um dos grandes mistérios da temporada de premiações deste ano até o momento vem sendo a distribuição de “O Irlandês”, épico de máfia que Martin Scorsese vem preparando nos últimos tempos e que a Netflix vem colocando como sua maior aposta para o Oscar 2020. Embora a companhia sempre tenha sido a favor de lançar simultaneamente seus filmes no cinema e streaming, o desejo por uma campanha mais efetiva na premiação da Academia e o fato de ser um filme de Scorsese tem levado o serviço de streaming a considerar desde idos de março a possibilidade de colocar o longa nos cinemas, algumas semanas antes do lançamento na plataforma.

Agora, porém, a Netflix enfim confirmou que vai realizar um lançamento do longa nas telonas, ainda que bem menor do que o esperado. Depois do Deadline noticiar, a própria companhia divulgou nas redes sociais que “O Irlandês” será lançado em alguns cinemas dos Estados Unidos e Reino Unido quase um mês antes da estreia oficial na plataforma. Enquanto no serviço o longa estreia no dia 27 de novembro, nos cinemas ele começa sua trajetória no dia 1° do mesmo mês, primeiro em salas de Nova York e Los Angeles para depois expandir para outros locais pontuais dos EUA e a terra da rainha no dia 8.

[ATUALIZAÇÃO: 15h] Ao B9, a Netflix Brasil confirmou que ainda não há novidades sobre o lançamento de “O Irlandês” nos cinemas do país. [FIM DA ATUALIZAÇÃO]

O lançamento mais contido da produção acontece depois de meses de negociação entre a Netflix e as grandes redes de cinema dos Estados Unidos, numa briga que obviamente acabou pendendo contra o serviço de streaming mais uma vez. Apesar das tentativas de Ted Sarandos, Scott Stuber e Spencer Klein em fechar o acordo, companhias como a AMC, o Cineplex, o Regal e o Cinemark mantiveram-se firmes na decisão de não abrir uma exceção ao “O Irlandês” e permitir que o filme fosse exibido em suas salas sem respeitar a janela de tempo entre a exibição nos cinemas e o debute no streaming – que atualmente exige pelo menos três meses entre estas estreias.

Além do público e os planos da Netflix no Oscar, entretanto, quem mais sai perdendo no fundo são as próprias exibidoras. De acordo com o Box Office Mojo, dos últimos três filmes de Scorsese lançados no cinema com ampla distribuição, dois (“O Mistério de Hugo Cabret” e “O Lobo de Wall Street”) acumularam só nos Estados Unidos uma bilheteria total acima dos 70 milhões de dólares, com semanas de abertura da altura dos 10 milhões em arrecadação de ingressos. E em se tratando de um filme do diretor que reúne atores celebrados pelo público como Robert De Niro e Al Pacino, é de se imaginar que esta audiência deseje muito ver “O Irlandês”.

Compartilhe: