Instagram trabalha em nova ferramenta inspirada no TikTok

Clips permite aos usuários criar vídeos com velocidade alterada e maior liberdade de edição, recursos que são base para o sucesso da rede social chinesa

por Matheus Fiore

Utilizado para criação e compartilhamento de vídeos curtos, geralmente destinados ao humor e utilizando brincadeiras com dublagem como foco, o TikTok atingiu em 2019 a marca de 1 bilhão de downloads. Agora, a rede social da chinesa ByteDance está prestes a ter algumas de suas funcionalidades “copiadas” pelo principal app de fotos e vídeos do planeta, o Instagram.

O Facebook já possui um histórico de “copiar” algumas ferramentas de redes sociais concorrentes. Primeiramente, o sistema de postagens e timeline, inspirado diretamente no feed do Twitter. Alguns anos depois, a empresa tentou sem sucesso comprar o Snapchat, o que fez com que a empresa de Mark Zuckerberg simplesmente copiasse as principais funcionalidades do Snapchat no Instagram Stories. Outro caso foi a compra do WhatsApp, que se tornou concorrente do Messenger e principal aplicativo de troca de mensagens do mundo.

Agora, a empresa parece estar dando mais um passo para sua expansão no domínio das redes sociais. Mesmo que o Facebook esteja em baixa – tanto pela saturação da plataforma quanto por escândalos de privacidade como o da Cambridge Analytica –, a empresa, como um todo, está em alta, já que o WhatsApp mantém-se como o aplicativo de mensagens mais popular e o Instagram é, hoje, provavelmente, a rede social mais rentável do mercado. Agora, o TikTok se tornou o novo alvo desse “hábito” da empresa de Zuckerberg.

A engenheira Jane Manchun Wong, especialista em descobrir novidades em plataformas por meio da análise de seus códigos, identificou uma nova ferramenta chamada Clips, que permite aos usuários publicar vídeos nos stories que são gravados separadamente e depois unidos. O recurso permite também que o usuário sobreponha seu vídeo com músicas e ajuste a duração e velocidade desses vídeos.

Os recursos, então, dariam ao usuário do Instagram recursos suficientes para ele criar conteúdo bastante semelhante aos que se popularizaram no TikTok e em outros apps do passado, como o Vine.

Procurado por diversos veículos para comentar a informação, o Instagram recusou declarações sobre o caso.

Compartilhe: