Quibi vai ganhar programas de jornalismo produzidos pela ESPN e CBS News

Enquanto emissora esportiva conduzirá boletim esportivo diário, programa da CBS deve produzir jornal televisivo de apenas 6 minutos de duração

por Matheus Fiore

Com lançamento previsto para 2020 e focada em proporcionar uma experiência de streaming pelos celulares, o Quibi é um dos vindouros serviços dispostos a entrar na luta por espaço no meio nos próximos anos. E para isso a plataforma gerida por Jeffrey Katzenberg e Meg Whitman não está economizando em negócios com terceiros, incluindo produções de nomes como Steven Spielberg, Guillermo Del Toro e Sam Raimi.

Agora, o serviço fechou duas parcerias importantes para garantir que o Quibi seja um nome forte no mercado. Para começar, a plataforma terá um programa de notícias produzido pela CBS News e inspirado no formato consagrado pelo “60 minutes”, que percorrerá superficialmente as principais notícias do país como um tradicional jornal televisivo. O diferencial do programa feito para o Quibi, porém, é que ele terá uma duração enxuta, batendo a marca de apenas seis minutos.

O outro grande anúncio foi a parceria com a maior rede esportiva do planeta, a ESPN, que terá um programa de esportes diário e exclusivo da plataforma. Ainda não há informações sobre o formato, mas pelo fato de a proposta do Quibi ser a oferta de conteúdos curtos, é possível imaginar algo semelhante ao “SportsCenter”, trazendo um resumo com as principais notícias esportivas do dia e lances dos esportes favoritos da população americana.

O Quibi já levantou mais de um bilhão de dólares em investimentos de grandes estúdios como Disney, 21st Century Fox, NBCUniversal, Sony, Viacom e WarnerMedia – além de ter feito parcerias com nomes de outros mercados, como o Alibaba – e deve chegar ao mercado em abril do ano que vem. Mesmo que seja mais um serviço de streaming a chegar entre 2019 e 2020, como o Disney+, o HBO Max e o Peacock, o serviço apresenta uma proposta diferente que possivelmente o posicionará como um serviço complementar na indústria, ao invés de um concorrente direto das marcas citadas.

Compartilhe: