amazon-protestos-black-friday-capa

Na França, ativistas ambientais bloqueiam acesso ao centro de distribuição da Amazon

Além das manifestações, na Alemanha trabalhadores da Amazon fazem greve pedindo melhores condições de trabalho e remuneração

por Soraia Alves

A Amazon está tendo uma Black Friday, no mínimo, diferente neste ano, tendo que lidar com questões que vão além de preços e estoques. Na França, cerca de 100 ativistas ambientais organizaram protestos contra a empresa, destacando os danos causados ​ao meio ambiente por ações como a Black Friday.

Os manifestantes bloquearam o acesso a um centro de distribuição da Amazon em Bretigny-sur-Orge, a cerca de 40km ao sul de Paris. O bloqueio formou uma corrente humana, além de usar fardos de feno e artigos elétricos antigos para bloquear o acesso de caminhões que tentavam entrar no local.

De acordo com o The Straits Times, os manifestantes afirmam que o consumismo gigante da Black Friday causa danos ao meio ambiente por aumentar as emissões de gases do efeito estufa. Os cartazes pediam, ainda, que a Amazon pare de se expandir e de superproduzir.

Outros dois grupos de manifestantes, o Youth for Climate e o The Extinction Rebellion, também estão ocupando e bloqueando grandes centros de vendas em 30 cidades da França, incluindo Paris.

Além da França, a Amazon também enfrenta questões na Alemanha, onde trabalhadores de 6 centros de distribuição da empresa fizeram uma paralisação. A greve, programada para durar até segunda-feira, reclama das más condições de trabalho nos locais, além de pedir uma melhor remuneração.

Compartilhe: